Tutty Humor

Paul McCartney na Cidade de Deus

Tutty Vasques, O Estado de S.Paulo

22 Março 2011 | 00h00

Às vésperas de sua apresentação no Rio de Janeiro, Paul McCartney está apavorado! "Será que também vão querer me levar na Cidade de Deus, caramba?" A comunidade só pensa nisso: se a cada dois meses uma grande personalidade internacional aparecer por lá, em um ano a favela será um lugar mais arrumado pra se viver em paz.

Não que, por conta da visita de Barack Obama, muita coisa tenha mudado na paisagem, mas só de ver lixeiros, mata-mosquitos e tapa-buracos nas ruas, a galera de lá bateria palmas pra qualquer visita oficial.

Não é pra qualquer um! O governo do Estado só leva de Madonna pra cima ao seu principal cartão-postal: as comunidades pacificadas pela polícia, justo motivo de orgulho de todo o balneário. Se o(a) visitante é muito importante, não pode deixar de ver pobre curtindo seu tambor e batendo uma capoeirazinha na maior tranquilidade.

Melhor assim do que na época em que a Cidade Maravilhosa tentava tapar as favelas com outdoors à beira do caminho dos gringos. Para eles, diga-se de passagem, o programa é bem divertido, especialmente se não fizer muito calor durante a visita. Ou seja, o ex-beatle está apavorado à toa! Relaxa, Paul!

Tira-teima

Evo Morales quer ser o próximo chefe de Estado a visitar o Brasil. Só pra ver se, como disse Chico Buarque, o País trata do mesmo jeito os EUA e a Bolívia.

Caverna alto-luxo

Corre no mundo árabe boato de que Muamar Kadafi comprou um dos

superesconderijos de Osama bin

Laden no Paquistão. É aquela velha história: "Inimigos, inimigos, negócios à parte!"

Dois pesos

O governador Cid Gomes, do Ceará, está revoltado. Também, pudera! "O Obama viaja com a sogra e ninguém fala nada!" Cá pra nós, a bronca faz todo sentido.

Fashion Dilma

O que mais impressionou em Dilma Rousseff na recepção ao presidente dos EUA foi aquele xale. É mais um diferencial importante de seu governo em relação ao de seu antecessor.

Tanto faz!

A mudança de última hora na sigla do novo partido de Gilberto Kassab - de PDB para PSD - não muda, fundamentalmente, nada do ponto de vista ideológico. Afinal de contas, PMDB sem M no meio ou PSDB sem B no final, fala sério, é quase a mesma coisa.

Curto e grosso

Pelo tanto que aplaudiram o Obama no Theatro Municipal, francamente, cabia um bis de País Tropical no final da apresentação, né não? Pior que não rolou nem uma canja depois do Cristo no bar do hotel.

Fora do script

O governador Sérgio Cabral já comentou alguma coisa em suas entrevistas sobre "o legado da visita do Obama ao Brasil"? Não? Será que esqueceu sua fala de novo?!

Day after

Entreouvido ontem de manhã numa rodinha de conversa na Cinelândia: "Como se diz "rasgação de seda" em inglês?"P

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.