Tutty Humor

Boa noite, Dilma!

Tutty Vasques, O Estado de S.Paulo

11 de fevereiro de 2011 | 00h00

Sabe Deus que diabos Dilma Rousseff botou na bebida do Arnaldo Jabor, mas não foi só na dele não! Um a um, os chamados formadores de opinião - ô, raça! - estão todos se rendendo aos encantos da presidente. A mulher-poste que o Lula elegeu não existe mais. Quarenta dias depois da posse, transformou-se em gestora séria e competente, discreta e combativa, hábil e incorruptível, surpreendente. Ninguém ainda salientou no jornal a doçura de seu sorriso, mas, a julgar pelo que o Nelsinho Motta andou escrevendo dia desses, é questão de tempo.

Já era outra Dilma quando voltei de férias, ou seja, perdi o momento da virada no noticiário. Há uma semana não faço outra coisa senão tentar entender o que ela fez para mudar sua imagem tão radicalmente sem precisar ir ao Kamura. Cá pra nós, somando o nó tático no PMDB ao corte no Orçamento, mais a peitada nos sindicalistas e a bronca pelo apagão, noves fora não justifica a gratíssima surpresa que vem despertando até em quem não dava nada por ela.

O que talvez a tenha tornado irresistível é a ausência do Lula que sua presença na Presidência proporciona. Não é nada, não é nada...

Cairo colega

Paulo Coelho está preocupado! Seu melhor amigo no Egito não manda e-mails há três dias.

Dolorosa

De alguém que não entende nada de economia, comentando a advertência do ministro Guido Mantega - "Não vai ser sem dor!" - sobre o corte no Orçamento: "Se com Mantega vai doer, imagina sem!"

Agenda positiva

O Brasil perdeu de novo da França, mas vamos lá, anime-se: é muito melhor falar mal de vez em quando do Mano Menezes do que passar os dias esculhambando o Pedro Bial.

Eu, hein!

Ninguém no Congresso Nacional acredita que o deputado republicano Chris Lee tenha renunciado ao cargo em Washington só porque divulgaram o flerte dele com uma amante virtual na internet. "Aí tem!" - comenta-se em Brasília, onde esse tipo de transgressão é pinto!

Fantasma da inflação

Vitor Belfort ganhou R$ 456 mil para tomar aquele pé no queixo que o nocauteou logo no comecinho da luta com Anderson Silva pelo UFC, em Las Vegas. Por 10% dessa grana, o Maguila toparia fazer o serviço.

Ego do século

É grande a expectativa em Brasília para o primeiro quebra-pau público entre Gilmar Mendes e Luiz Fux, o novo ministro do STF. Tá na cara que eles vão se estranhar.

Será o Benedito?

José Serra foi muito bem recebido pela bancada do PSDB no Congresso, mas deixou Brasília com a sensação de que estão refundando o partido em algum lugar escondido dele.

Ah, coitado!

Com que cara o Nelson Jobim vai ficar na França se Dilma Rousseff optar pelos caças americanos? Só se fala disso no Ministério da Defesa!

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.