Tutty Humor

O país do chute no queixo

Tutty Vasques, O Estado de S.Paulo

08 Fevereiro 2011 | 00h00

Se você é desses que não conhecem nada mais sem-vergonha que a classe política, vale a pena dar uma espiadinha no Big Brother Brasil 11. Em matéria de comportamento indecoroso, francamente, o novo reality show da Globo não deixa nada a desejar ao Congresso que entrou em cartaz na semana passada. São, aparentemente, todos da mesma espécie - ô, raça!

Voltando de férias, enfrento dificuldades em separar no noticiário as novas lideranças do programa de TV e do Parlamento. Confesso que, até ontem, não saberia distinguir pelo nome o presidente da Câmara dos Deputados do transexual eliminado da "Casa".

Um mês sem ler tanta notícia dá nisso: o Brasil não parece mais aquele, ainda que permaneça igualzinho! A própria Dilma Rousseff mudou sua imagem na mídia sem, para isso, precisar mexer no penteado.

Se é difícil entender o lugar onde a gente vive na volta das férias, imagina a confusão que provocamos ao olhar estrangeiro! Dizem, inclusive, que, depois desse último golpe do Anderson Silva que nocauteou Vitor Belfort no UFC, os americanos estão chamando o Brasil de "o país do chute no queixo". Estou ainda meio grogue com tudo isso, mas vai passar!

Fenômeno inverso

Bastou a primeira derrota com a camisa do São Paulo, e pronto: já tem torcedor tricolor dizendo por aí que o Rivaldo está magro demais.

Questão de higiene

"CONTANTO QUE NÃO SEJAM USADAS, TUDO BEM!"

Silvio Berlusconi, comentando a chuva de camisinhas que seus opositores planejam contra o

primeiro-ministro italiano.

Operação rescaldo

Parcialmente debelado pela vitória sobre o Palmeiras, o fogo ainda ameaça o barracão do Corinthians. Como bem disse o presidente Andrés Sanches, "onde há fumaça há torcedor do Timão".

Repara só!

A denúncia chegou ao Palácio do Planalto e deve vazar no WikiLeaks a qualquer momento: o ditador egípcio Hosni Mubarak usa a mesma tintura de cabelo de Edison Lobão. Repara só!

Sintoma de gravidez

Lula chegou ontem a Dacar, no Senegal, com um desejo incomum: quer que os franceses elejam uma mulher presidente da República. Pode estar esperando uma irmãzinha para a Dilma, né?

Gatos pingados

A marcha contra a dengue liderada pelo ministro Alexandre Padilha, da Saúde, reuniu 250 pessoas no Rio. Trata-se do maior fracasso das manifestações de rua na orla desde o advento da caminhada pela liberação da maconha, em Ipanema.

Ego de gigante

Nelson Jobim, que na era Lula ficou conhecido em Brasília como "o ministro que não cabe em si", ganhou apelido novo no Palácio do Planalto! A própria Dilma só o chama pelas costas de "Gulliver".

Mal comparando

Gilberto Kassab reclama de barriga cheia das enchentes em São Paulo. Está chovendo pedra há mais de uma semana na cidade do Cairo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.