Turistas têm de pagar 'pedágio' para acessar praia em Ilhabela

Turistas têm de pagar 'pedágio' para acessar praia em Ilhabela

Turistas que vão à Praia dos Castelhanos precisam pagar R$ 12; Fundação Florestal diz que cobrança está prevista na lei

Reginaldo Pupo, Especial para O Estado

19 de novembro de 2014 | 20h00

ILHABELA - Os turistas que costumam visitar Ilhabela, no litoral norte paulista, deverão preparar ainda mais o bolso. Desde esta terça-feira, o Parque Estadual de Ilhabela está cobrando um "pedágio" de R$ 12 para quem acessa a Praia dos Castelhanos, um dos pontos turísticos mais visitados do arquipélago. A medida, em vigor às vésperas do feriado prolongado da Consciência Negra, foi criticada pelo prefeito Antonio Colucci (PPS), que teme a evasão de turistas da cidade. 

Para chegar a Ilhabela o visitante desembolsa R$ 22,50 (aos finais de semana) para a travessia das balsas e R$ 6,50 de taxa ambiental para sair da ilha.

"Somos contra a cobrança por entendermos que essa medida poderá afugentar os turistas, nossa principal indústria", disse o prefeito, que negocia com o governo do Estado a municipalização do Parque Estadual de Ilhabela. A Fundação Florestal passou a cobrar a taxa pela utilização da estrada que dá acesso à Praia de Castelhanos porque a via corta o Parque Estadual. "Seria justificável se a taxa fosse aplicada a quem quisesse fazer as trilhas ou caminhadas dentro do Parque, por exemplo. A praia não está inserida dentro do Parque Estadual", completou Colucci.


O pagamento do "pedágio" não é garantia de chegar à praia. A Fundação Florestal limitou em 167 o número de veículos que podem chegar até a praia, sendo 42 carros de passeio, 65 jipes de passeios turísticos cadastrados e 60 motos. Veículos de moradores são isentos, segundo o órgão. Não é cobrada taxa para quem trafegar a pé ou de bicicleta.

De acordo com a Fundação Florestal, a cobrança está prevista dentro no plano de implantação da estrada (Resolução Conjunta SMA/ST nº 004/2010), que determina que o órgão é responsável por operar e controlar o uso da estrada. "Os valores arrecadados contribuirão com o custeio da operação da Estrada-Parque Castelhanos", disse a Fundação em nota.

Em relação à comunidade local, segundo a Fundação, será adotada a política de ingressos já utilizada pela Fundação Florestal em outras Unidades de Conservação que prevê que os moradores de Castelhanos sejam isentos, bem como os que possuírem segunda casa no local; munícipes terão desconto de 70%. Em casos específicos, a isenção poderá ser concedida pelo órgão gestor do parque, mediante agendamento e solicitação prévia.

Tudo o que sabemos sobre:
IlhabelaSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.