Turistas brasileiros gastam R$ 8 bi nos EUA

Valor deixado no país cresceu 17% em comparação ao ano passado; embaixada americana quer emitir pelo menos de 1 milhão de vistos neste ano

NATALY COSTA, GUILHERME WALTENBERG, O Estado de S.Paulo

26 Março 2013 | 02h07

Os turistas brasileiros gastaram U$ 8 bilhões nos Estados Unidos em 2012, um aumento de 17% em relação ao ano anterior, quando os visitantes já haviam deixado U$ 6,8 bilhões em cidades como Orlando, Miami e Nova York. Os gastos incluem diárias de hotel, refeições e compras de roupas e eletrônicos. Agora, os brasileiros só perdem para os chineses no ranking dos que mais gastam no país.

Em um evento ontem em São Paulo, o embaixador dos EUA no Brasil, Thomas Shannon, afirmou que o dinheiro injetado pelos brasileiros é importante para os americanos. "A grande presença de brasileiros nos Estados Unidos ajuda muito a recuperação da economia americana."

A embaixada americana quer repetir o feito do ano passado e emitir pelo menos 1 milhão de vistos para brasileiros em 2013. Segundo a Missão Diplomática dos EUA no Brasil, cerca de 1,1 milhão de vistos foram processados em 2012, mais da metade deles no Consulado em São Paulo. Só nos dois primeiros meses deste ano já foram emitidos 137 mil.

O tempo de espera para a obtenção do visto americano hoje é de 2 dias a partir da entrega dos documentos e da entrevista no Consulado. Até 2014, estão previstos dois novos consulados, em Belo Horizonte e Porto Alegre, que devem desafogar a unidade de São Paulo, por onde passam duas mil pessoas por dia.

"Os governos estão trabalhando para deixar de pedir vistos, mas não posso dizer exatamente quando. Temos de negociar acordos sobre integridade e confiança com relação aos documentos e a capacidade de trocar informações sobre pessoas que estão viajando e isso tem de ser recíproco", disse Shannon.

Hoje, Brasil e Estados Unidos ainda não entraram em acordo sobre a troca de dados sigilosos, uma das coisas que o governo americano exige para acabar com a necessidade de visto para turismo ou negócios. Além disso, a taxa de vistos negados a brasileiro é de 5% - é preciso que essa porcentagem chegue a 3% para que o Brasil seja elegível para o Programa de Isenção de Visto do governo americano.

O Brasil também deve ingressar no Global Entry, programa que vai eleger 1,5 mil viajantes para entrar nos EUA sem precisar passar por filas na imigração, usando um quiosque no aeroporto para identificar o passaporte.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.