Turista tem de selecionar o seu roteiro, diz guia

Para quem quer mais do que fotografar os principais pontos turísticos da capital ou dar uma circulada rápida nos museus, a dica dos guias de turismo é estabelecer prioridades.

Cristiane Bomfim, O Estado de S.Paulo

08 de maio de 2011 | 00h00

Dentro do roteiro proposto pela São Paulo Turismo para o city tour oficial, é possível escolher as paradas de acordo com seu gosto. Para quem quer saber como e onde São Paulo começou, a sugestão será descer do ônibus no Pátio do Colégio. A São Paulo moderna está na Avenida Paulista. Para quem gosta de futebol, o Estádio do Pacaembu, que abriga museu sobre o assunto, é boa pedida. "Se eu tivesse de escolher apenas três paradas para conhecer bem, ficaria com a Luz, a Paulista e o Pátio do Colégio", afirma o guia de turismo especializado na capital Laércio Cardoso de Carvalho, de 64 anos.

A Luz foi escolhida pela variedade de equipamentos culturais, como a Pinacoteca, o Museu de Arte Sacra, a estação ferroviária, o Jardim da Luz e o "Museu da Língua Portuguesa, que está instalado em um prédio de 1901 e é único no estilo de interatividade".

"O Pátio do Colégio, porque foi lá que tudo começou. A região é cercada de prédios lindíssimos das décadas de 1920, 1930 e 1940", diz Carvalho. Uma caminhada leva até o Mosteiro de São Bento. A construção em estilo da escola artística de Beuron é uma das únicas no mundo, pois muitas na Alemanha foram bombardeadas na 2ª Guerra Mundial.

Na Paulista, além do Masp, o turista pode ir até o histórico Conjunto Nacional e visitar a Casa das Rosas, "que foi construída em 1935, embora o projeto de Ramos de Azevedo seja de 1928", ensina o guia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.