Turista alemão que agredia mulheres é deportado

Stephan Brode "morava" havia três meses no Aeroporto Internacional de Cumbica. Segundo a família, ele sofre de esquizofrenia

Alexandre Hisayasu, O Estado de São Paulo

26 Março 2017 | 21h52



O turista alemão Stephan Brode, de 44 anos, foi deportado para o seu país de origem depois de ficar três meses morando no Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo. Ele embarcou em um vôo na tarde deste domingo.

Brode desembarcou em Guarulhos, em dezembro, vindo de Marrocos. Segundo a Polícia Federal, ele perdeu uma conexão para os Estados Unidos e acabou ficando no aeroporto por não ter condições de comprar nova passagem. Ele pretendia voltar para a Alemanha. Desde então, o turista passou a "morrar" no aeroporto. Imagens de câmeras de segurança mostram que ele revirava lixeiras em busca de alimentos e, às vezes, discutia com frequentadores. Ele foi flagrado dando tapas no rosto de mulheres. A família dele informou ao Consulado da Alemanha que Brode sofre de esquizofrenia e, possivelmente, não estaria tomando os remédios.

Na última sexta-feira, a Polícia Federal pediu a prisão e deportação do turista à Justiça. A medida foi necessária pois o prazo para Brode permanecer no país expirou. Ele foi levado para uma sala da PF, onde aguardou o voo que partiu para a Alemanha neste domingo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.