Turismo teme prejuízos por causa da violência

Ocupação prevista para os hotéis no réveillon já é de 83%; Abav ainda não vê declínio na procura por pacotes de viagem

Talita Figueiredo, O Estado de S.Paulo

24 de novembro de 2010 | 00h00

RIO - Os ataques no Rio preocupam o setor de turismo, a pouco mais de um mês do réveillon, uma das festas que trazem mais visitantes à cidade. Mas, para o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (Abih), Alfredo Lopes, se a ação do governo for rápida e enérgica, o turismo não vai sofrer prejuízos.

 

"O turista do mercado nacional está começando a pensar e a decidir seu destino de réveillon e carnaval. Se a violência continuar assim, poderemos ter prejuízo na procura por reservas para essas épocas. Tudo vai depender do que o governo anunciar como medida de combate ao crime. O que os bandidos estão fazendo é terrorismo, serve para tentar desmoralizar o governo, que ocupou áreas degradadas que estavam abandonadas há décadas. Uma manifestação do crime era esperada", disse Lopes. Segundo ele, a ocupação para hotéis no réveillon já é de 83%.

Sem declínio. O presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagens do Rio (Abav-RJ), Luiz Strauss de Campos, diz que a entidade acompanha com preocupação os ataques. Mas lembrou que esta não é a primeira vez que a cidade sofre com o crime, "nem será a última". "Ainda não sentimos declínio de procura de reservas nas agências de viagem, nem houve paralisação de vendas. Isso não acontece de imediato. Mas, se continuar assim, o turista não virá ao Rio."

Campos disse que as notícias de segurança podem começar a correr o mundo. "Nós trabalhamos anos para melhorar a imagem do País e temos certeza de que isso prejudica sim, mas acreditamos que a violência vai ser superada com mais velocidade. O Rio está vivendo um momento diferente e percebemos que as autoridades não vão recuar. Os criminosos estão incomodados com as medidas tomadas."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.