Tumulto e acusações marcam enterro de menina atendida por falso médico

MESQUITA (RIO)

, O Estado de S.Paulo

16 de agosto de 2010 | 00h00

Cerca de 300 pessoas foram ao enterro de Joanna Cardoso Marcenal Marins, de 5 anos, no Jardim da Saudade, em Mesquita, na Baixada Fluminense. Houve gritaria e tumulto quando Vanessa Maia, madrasta da menina, tentou participar da cerimônia e foi expulsa pela família de Cristiane Marcenal, mãe de Joanna. Parentes maternos acusam o pai da criança, André Marins, pela morte. Ele não foi visto no cemitério.

A polícia investiga se Joanna foi vítima de maus-tratos. Ela morreu na sexta-feira com marcas no corpo, após passar quase um mês em coma. Joanna estava com o pai desde maio, quando ele obteve sua guarda na Justiça. Ela passou por três hospitais, segundo André, por causa de convulsões, e no RioMar foi atendida pelo falso médico Alex Sandro da Cunha Silva, considerado foragido da polícia.C

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.