TRT estabelece reajuste de 11% a servidores da Fundação Casa

Trabalhadores estão em greve há mais de um mês e paralisação atingiu 150 unidades no Estado; governo vai recorrer

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

24 Maio 2016 | 20h00

SOROCABA – O Tribunal Regional do Trabalho da 2.ª Região estabeleceu um reajuste de 11,07% nos salários dos servidores da Fundação Casa, em greve há mais de um mês no Estado de São Paulo. No julgamento do dissídio coletivo da categoria, nesta terça-feira, 24, o TRT também determinou o retorno imediato ao trabalho.

O reajuste foi dado com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) e será aplicado também nos benefícios dos servidores, como vale-alimentação, vale-refeição, auxílio-funeral e auxílio-creche.

Os agentes reivindicavam inicialmente aumento salarial de 42% e melhores condições de trabalho. A Fundação informou ter apresentado proposta de reajuste de 5,22%, sendo 2,61% sobre o salário de março e 2,55% a partir de setembro, mas a categoria recusou. 

A greve atingiu as 150 unidades da fundação no Estado. Anteriormente, o TRT havia determinado que 70% dos agentes de segurança estivessem presentes na unidade. A Fundação alegou que a ordem judicial não foi cumprida e chegou a pedir à Justiça a suspensão do envio de menores infratores às unidades do interior por falta de segurança. 

Em nota, a Fundação Casa informou que, por orientação da Procuradoria -geral do Estado de São Paulo, irá recorrer da decisão do TRT. Dirigentes do Sindicato dos Socioeducadores do Estado de São Paulo não foram encontrados para comentar a decisão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.