Deic/Polícia Civil/Divulgação
Deic/Polícia Civil/Divulgação

Trio que vendia uísque falso para bares da capital paulista é preso

Criminosos falsificavam bebidas importadas em galpões na zona norte; Deic investiga estabelecimentos que compravam produtos

Rafael Italiani, O Estado de S. Paulo

12 Junho 2015 | 09h42

Atualizada às 11h56

SÃO PAULO - Uma quadrilha que falsificava bebidas alcoólicas avaliadas em mais de R$ 800 foi presa pelo Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), na tarde desta quinta-feira, 11, em Pirituba, na zona norte de São Paulo. Três homens foram detidos com 2.800 garrafas de uísques como Blue Label e Jack Daniel's e também de marcas famosas de vodca. Os criminosos armazenavam os produtos em dois galpões. Os uísques 18 anos, por exemplo, eram vendidos para casas noturnas, bares e restaurantes, por R$ 650. 

De acordo com o Deic, as destilarias eram mais uma das atividades do crime organizado na região. A polícia afirma que traficantes de droga investiam o dinheiro do tráfico no comércio de bebidas falsificadas. As mercadorias falsas abasteciam o comércio noturno de toda a cidade de São Paulo.

A operação começou em um dos pontos de distribuição dos criminosos. No galpão, foram encontradas 1.060 garrafas vazias, tampas plásticas e selos tributários que são colocados nos gargalos de bebidas importadas. Três vendedores foram presos em flagrante, confessaram participar da atividade e indicaram um segundo ponto de armazenamento e produção do uísque e da vodca. 

No local, o Deic apreendeu 1.800 garrafas e todo o aparato de falsificação: líquidos, rótulos, selos, tampas e as embalagens de papelão com as marcas das bebidas. O trio foi indiciado por falsificação e associação criminosa. Agora, o Deic vai investigar quais estabelecimentos compravam as mercadorias falsas. 


Mais conteúdo sobre:
DeicSão PauloUísque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.