Trio do PCC é preso com dinheiro e celulares que entrariam nos presídios

Quadrilha já teria movimentado pelo menos R$ 1,7 milhão com o tráfico de drogas segundo a PM

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

14 Outubro 2011 | 01h54

SÃO PAULO - Três homens ligados ao Primeiro Comando da Capital (PCC) - facção criminosa que age dentro e fora do sistema prisional paulista - foram detidos, por volta das 21 horas de quinta-feira, 13, no interior de uma das residências da Avenida Lopes Baião, na Vila Jacuí, zona leste da capital paulista.

 

Durante patrulhamento, policiais militares das Rondas Ostensivas Tobias Aguiar (Rota) perceberam que um suspeito que deixava o imóvel, ao ver a viatura, se assustou, deu meia volta, entrou novamente na residência e se escondeu dentro de um armário, mas foi localizado.

 

Outras dois suspeitos também foram detidos no interior da casa. Com eles, os policiais apreenderam 20 celulares novos, todos ainda dentro da caixa e possivelmente roubados, outros sete usados, um laptop, anotações da movimentação financeira da quadrilha, além de R$ 52.880,00, em notas.

 

Deste total, R$ 10 mil estavam dentro de meias, guardadas no armário. Com esse valor, o trio tentou subornar os PMs, o que acabou agravando o flagrante. Segundo os PMs, pelos valores registrados nas anotações, a quadrilha já teria movimentado cerca de R$ 1,7 milhão.

 

"Acreditamos que essa movimentação venha mesmo do tráfico de drogas, apesar de não temos encontrado nem entorpecentes nem armas com eles. Os celulares novos, ao que tudo indica, seriam encaminhados para dentro das prisões", afirmou o tenente Marcelo Kiyota, da Rota.

 

Os três detidos foram identificados como William, o dono da casa, Daniel, que já tem passagens por tráfico, roubo e receptação, e Leandro, que estava em liberdade condicional. O trio foi encaminhado para o plantão do Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic).

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.