Três são condenados pela morte de garçom em 2007

Punks acusados do crime estavam armados com facas e tacos de beisebol; dois envolvidos ainda serão julgados

Ricardo Valota, do estadao.com.br,

15 Janeiro 2010 | 07h15

Terminou às 2h30 desta sexta-feira, 15, no Sexto Tribunal do Júri do Fórum da Barra Funda, em São Paulo, o julgamento de três dos cinco punks acusados de matar o garçom John Cleiton Moreira Batista, de 19 anos, em 22 de junho de 2007. O crime aconteceu no bar onde a vítima trabalhava, localizado na esquina da Alameda Lorena com a Rua da Consolação, nos Jardins.

 

Peterson Caldeira da Silva foi condenado a 18 anos e 8 meses de prisão; já Felipe Navarro e Felipe Amorim pegaram 16 anos e 4 meses de prisão por crimes de assassinato e tentativa de homicídio. A defesa informou que vai recorrer da decisão. O julgamento começou às 17 horas de quarta-feira, 13, com três horas de atraso, e foi reiniciado às 10 horas do dia seguinte.

 

Para convencer os jurados de que os jovens eram culpados, a promotoria usou vários argumentos, entre eles o de que os acusados poderiam ter assassinado qualquer pessoa quando saíram armados com facas e tacos de beisebol. Nesse caso, a vítima foi o garçom John Cleiton.

 

Os outros dois acusados do crime, Willian de Lima e Joale Antônio, serão julgados no dia 11 de março. O garçom foi esfaqueado e agredido por um grupo de punks porque estava sem um isqueiro para emprestar para os acusados. Os agressores estavam armados com facas e tacos de beisebol. Na confusão, outras sete pessoas ficaram feridas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.