Três policiais civis de Campinas são denunciados por extorsão

Eles teriam mantido mulher refém enquanto negociava valor de resgate com traficante; dois já foram presos

Tatiana Fávaro, O Estado de S.Paulo

10 de outubro de 2008 | 17h28

A Promotoria do Estado de São Paulo, por meio do Grupo de Atuação Especial Regional para Prevenção e Repressão ao Crime Organizado (Gaerco) de Campinas, denunciou três policiais civis da cidade por tentativa de extorsão mediante seqüestro. Os policiais Itamar Gomes da Silva, Marcio da Silva Passos e Edson José Casteleti foram acusados de manter uma mulher refém na Delegacia de Investigações Sobre o Crime Organizado (Dise) enquanto negociavam pagamento em dinheiro com um traficante para o qual ela supostamente trabalhava. O valor não foi divulgado pelo Ministério Público. O caso ocorreu há quatro meses e, segundo informou o promotor Gaspar Pereira da Silva Junior, a denúncia foi oferecida há um mês. Dois dos policiais - Silva e Passos - foram presos. O primeiro foi detido há um mês, e o segundo, na última quarta-feira. Ambos foram levados para o Presídio Especial da Polícia Civil, localizado na zona norte de São Paulo. O terceiro policial, Edson José Casteleti, está foragido. A mulher foi detida pelos policiais na região do bairro Botafogo, perto da antiga rodoviária, e ficado durante uma tarde inteira em uma sala usada como cativeiro, na delegacia. Segundo informaram as autoridades, o delegado titular não sabia da ação dos policiais.  O chefe da Corregedoria da Polícia Civil em Campinas, Roveraldo Bataglini, informou que além de trabalhar em parceria com o Gaerco nas investigações, a corregedoria instaurou processo administrativo disciplinar que pode culminar com a demissão dos policiais. A mulher foi integrada ao Programa de Proteção às Vítimas e Testemunhas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.