Três perguntas para Ana Paula Zomer, integrante da OAB e procuradora-geral

1.Quem visita essas mulheres na cadeia? Normalmente é a mãe. O companheiro arruma outra na primeira semana. Fora isso, as visitas vão rareando e até desaparecem.

O Estado de S.Paulo

10 Abril 2012 | 03h03

2.Muitas trabalham na prisão? Namoram? Elas trabalham, sim, e geralmente arrumam companheiras na cadeia. É uma outra sociedade dentro do sistema prisional. Não se pode perder isso de vista.

3.E quanto às gangues femininas? Esses casos de gangue são pontuais. São dados alarmistas, e não se pode traçar uma curva de criminalidade porque aconteceu de nas últimas semanas terem sido flagradas três gangues diferentes. O tráfico de drogas continua a liderar nesse público.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.