Três homens são mortos em chacina na zona norte de SP

Maioria dos tiros acertou peito e cabeça das vítimas que chegaram a ser socorridas, mas não resistiram

Daniela do Canto, estadão.com.br

01 Abril 2009 | 03h53

Três homens foram mortos a tiros no final da noite desta terça-feira, 31, na Vila Isabel, região da Brasilândia, zona norte de São Paulo. A chacina aconteceu na Rua Matilde Munhoz. Wanderson da Silva Conceição, 22 anos, Ricardo Fernando de Almeida, 34, e Edilson Quintino do Nascimento Santos, 20, lanchavam na calçada oposta a casa de Conceição quando foram baleados, por volta das 22h30.

 

Segundo informações apuradas pela polícia, os atiradores teriam chegado ao local em um Fiat Palio de cor clara - branca ou prata - e fugido logo após o crime. A maioria dos tiros acertou o peito e a cabeça das vítimas.

 

Familiares de Conceição ouviram os disparos e, quando saíram de casa, encontraram o jovem ainda com vida. Ele foi socorrido no carro de um vizinho e levado ao Pronto-Socorro de Vila Penteado, mas não resistiu aos ferimentos. Os outros dois baleados morreram no local.

 

Segundo os familiares de Conceição, ele cumpriu pena por roubo no Centro de Detenção Provisória (CDP) do Belenzinho, mas estava livre há cerca de dois anos. Desde então, não conseguiu mais arrumar emprego. A família ainda afirmou não ter ouvido nada além do barulho dos disparos. O crime será investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

 

Esta foi a segunda chacina da semana em São Paulo. Na noite do último domingo, três homens foram mortos a tiros quando conversavam em frente a um bar na Rua São João Batista, no bairro da Liberdade, região central. As vítimas, identificadas como Wallace Gomes Calazan, 20, Jean Meira, 27, e Silmar Luís de França, de 25, chegaram a ser socorridas aos Hospitais Vergueiro e Ipiranga, mas morreram logo depois. Desde 1º de janeiro deste ano, foram registradas quatro chacinas na capital e outras três na Região Metropolitana de São Paulo, que totalizam 23 pessoas mortas e outras três feridas.

 

(Colaboraram Paulo Maciel e Ricardo Valota)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.