Três homens são detidos por pichar prédio da TAM Express

Edifício foi atingido pelo Airbus da companhia aérea, no último dia 17; acidente deixou pelo menos 200 mortos

29 de julho de 2007 | 17h50

Policiais militares detiveram na manhã deste domingo, 29, três homens acusados de pichar a frase "várias vidas aqui", em uma das paredes do prédio da TAM Express, na zona sul de São Paulo. No último dia 17, o edifício foi atingido por um Airbus A320 da própria empresa que não conseguiu aterrissar no Aeroporto de Congonhas.   Veja Também:   Homenagem às vítimas do vôo 3054  O local do acidente  Quem são as vítimas do vôo 3054  Histórias das vítimas do acidente da TAM  Galeria de fotos  Opine: o que deve ser feito com Congonhas?  Cronologia da crise aérea  Acidentes em Congonhas  Vídeos do acidente  Tudo sobre o acidente do vôo 3054   Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), o técnico de informática, de 26 anos, confessou ter escrito a frase e contou que seus amigos - uma balconista, de 28 anos, e um pintor, de 25 - apenas o acompanhavam. À polícia, o técnico teria dito que a pichação era em memória das vítimas do desastre.   Um representante da TAM compareceu ao 27º Distrito Policial, do Campo Belo, e prestou queixa contra o trio. Mas apenas o pintor continuou preso, pois havia um mandado de prisão expedido contra ele por furto.   Neste domingo, a região do aeroporto foi tomada por uma manifestação de familiares, amigos, e simpatizantes dad vítimas do vôo 3054. O movimento percorreu várias ruas de São Paulo para protestar contra as companhias aéreas e para cobrar soluções do governo.  

Tudo o que sabemos sobre:
Vôo 3054

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.