Três envolvidos com Abadía são liberados pela PF em SP

Prazo de prisão temporária termina e envolvidos com megatraficante colombiano deixam a carceragem

Ricardo Valota, do estadao.com.br,

17 de agosto de 2007 | 08h46

Três presos envolvidos com o megatraficante colombiano Juan Carlos Ramírez Abadia, de 44 anos, foram soltos pela Polícia Federal de São Paulo às 0h30 desta sexta-feira, 17. Por conta do término do prazo da prisão temporária, eles foram liberados e deixaram a sede da Superintendência da PF, na Lapa, zona oeste da capital paulista.   Abadia é considerado um dos maiores traficantes do mundo e foi preso por policiais federais na madrugada do dia 7 de julho, em sua casa de luxo em um condomínio de Aldeia da Serra, na Grande São Paulo. A prisão fez parte da Operação Farrapos da Polícia Federal e outras oito pessoas ainda estão presas na sede da PF.   Em um dos dois carros que deixaram a sede da Polícia Federal nesta madrugada, estavam dois homens e uma mulher, além do advogados dos três. Apenas os primeiros nomes de dois deles foram divulgados: André e Elaine. O grupo seguiu diretamente para Porto Alegre. A Polícia Federal não quis confirmar, mas seriam um piloto, sua mulher e um filho de 19 anos.   O traficante colombiano, acusado de participação em 315 homicídios na Colômbia e nos Estados Unidos, teria começado a adquirir terras em Guaíba, região metropolitana de Porto Alegre, três anos atrás por intermédio deste piloto.   O piloto, a mulher e o filho, que tiveram a prisão temporária decretada pela justiça, eram quem cuidavam da mansão, de 500 metros quadrados, em Guaíba, cujo valor foi estimado em R$ 1,5 milhão. A residência fica num sítio de 100 hectares, a 30 quilômetros do centro da cidade. Segundo o advogado, os três agora irão responder processo em liberdade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.