Tremores de terra voltam a assustar Montes Claros

Foram pelo menos 850 chamados de moradores para polícia e bombeiros; casas e supermercado tiveram pequenos danos

MARCELO PORTELA , BELO HORIZONTE, O Estado de S.Paulo

20 de dezembro de 2012 | 02h03

Três fortes tremores de terra levaram pavor a moradores de Montes Claros, no norte de Minas, na madrugada e na manhã de ontem. O mais forte ocorreu às 10h43 e, segundo o Observatório Sismológico (Obsis) da Universidade de Brasília (UnB), chegou a 4.5 graus na escala Richter, mesma magnitude do abalo mais forte já registrado no município, em 19 de maio. Os outros tremores ocorreram às 2h55 e 3h32, com magnitudes de 3.6 e 3.5, respectivamente.

Apenas durante a madrugada e o início da manhã, o Corpo de Bombeiros havia recebido mais de 500 chamadas e a Polícia Militar, outras 350, quase todas de moradores assustados com os tremores. Segundo os bombeiros, muita gente correu para a rua no momento dos abalos. Houve registro de pequenos danos em algumas residências e em um supermercado. Em uma casa do Jardim Brasil, a estrutura de uma varanda desabou.

A maior parte dos atendimentos, porém, foi para verificar pequenas trincas em casas. Até o fim da manhã, de acordo com a corporação, não havia registro de feridos. A Defesa Civil passou o dia fazendo vistorias em imóveis, mas não houve necessidade de interdição de nenhum deles. Após os tremores da madrugada, parte de Montes Claros e de cinco municípios vizinhos ficou sem energia elétrica, mas, segundo a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), o serviço foi restabelecido em menos de uma hora.

Em maio, outro tremor de 4.5 graus na escala Richter causou danos em dezenas de imóveis. A cidade e municípios próximos são atingidos por abalos pelo menos desde 1995. Segundo o Obsis, apenas neste ano foram registrados mais de 150 tremores na região, mas a maior parte de pequena intensidade. A grande ocorrência de abalos sísmicos na área, situada sobre uma falha geológica, levou o observatório a instalar nove estações sismológicas em Montes Claros e em seu entorno.

Em 9 de dezembro de 2007, um tremor de terra de 4.9 na escala Richter matou uma menina de 5 anos e deixou vários feridos em Caraíbas. Após o abalo, 76 famílias tiveram de ser retiradas.

Recorde. Apesar da intensidade de tremores na região, o mais forte registrado no País (6.2 graus), segundo o Obsis, ocorreu em 1955 na Serra do Tombador, em Mato Grosso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.