JF Diório/AE
JF Diório/AE

Trem expresso SP-Jundiaí vai sair da Água Branca

Estado promete lançar edital nos próximos dias; nova parada deve criar vias ao redor da Rua Guaicurus e haverá desapropriações

Artur Rodrigues e Bruno Ribeiro - O Estado de S. Paulo,

31 Agosto 2012 | 22h30

SÃO PAULO - O governo do Estado promete lançar nos próximos dias o edital de licitação do projeto do trem expresso que ligará a capital paulista à cidade de Jundiaí, no interior. O projeto prevê uma nova estação na Água Branca, zona oeste da capital. A parada deve criar vias ao redor da Rua Guaicurus e haverá desapropriações.

A Estação Água Branca terá conexão com a futura Linha 6-Laranja da Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô) e com as já existentes Linhas 7-Rubi e 8-Diamante da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). O projeto prevê também duas novas ruas, uma de cada lado dos trilhos, com ligação até a Avenida Santa Maria. O quarteirão formado pelas Ruas Crasso e Tibério, ambas perpendiculares à Guaicurus, será transformado em ponto de acesso da estação. No lado oposto, a desapropriação será concentrada em parte de um terreno ocupado atualmente pela indústria de vidros Saint-Gobain.

Enquanto isso, a nova parada em Jundiaí está prevista para ficar perto da estação já existente, da Linha 7-Rubi. No local, haverá um estacionamento. Com essa opção, a ideia é tirar até 40% dos carros que fazem o trajeto São Paulo-Jundiaí. O expresso tem investimento previsto em R$ 160 milhões e o prazo para execução das obras é de 27 meses. Como se trata de um projeto funcional, ainda há a possibilidade de mudanças.

Linha. Nos horários de pico, essa linha fará o percurso em apenas 15 minutos. O tempo máximo será de 25 minutos. Atualmente, pela linha 7-Rubi, a viagem demora por volta de 1h20.

Mais conteúdo sobre:
trem expresso SP-Jundiaí Água Branca

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.