Tiago Ferreira/Estadão
Tiago Ferreira/Estadão

Linha 3-Vermelha volta a operar normalmente após descarrilamento

Acidente ocorreu no final da tarde de terça-feira e afetou circulação entre estações Artur Alvim e Corinthians-Itaquera; não houve feridos

Bruno Ribeiro, O Estado de S. Paulo

07 Fevereiro 2017 | 18h02
Atualizado 08 Fevereiro 2017 | 05h18

(Atualizada à 0h40) SÃO PAULO - O funcionamento da Linha 3-vermelha do Metrô foi normalizado no começo da madrugada desta quarta-feira, 8, após um trem descarrilar nas proximidades da Estação Artur Alvim, na zona leste da capital paulista. Os trens não circularam durante quase toda a noite desta terça-feira, 7, entre Artur Alvim e Itaquera. O Metrô informou não haver registro de feridos.

A companhia, administrada pela gestão Geraldo Alckmin (PSDB), não informou as causas do descarrilamento. "Para atender os usuários, o Metrô acionou o Paese com a CPTM, que manterá abertas as integrações entre os sistemas nas estações Tatuapé e Corinthians-Itaquera como opção para os usuários", diz nota da empresa.

Os trens circularam durante a noite apenas entre as Estações Palmeiras-Barra Funda e Patriarca. Na Barra Funda, as catracas de entrada foram reduzidas para evitar o acúmulo de passageiros nas plataformas de embarque.

À 0h24, o perfil oficial do Metrô de São Paulo informou que a operação foi normalizada na Linha 3-Vermelha. As estações Corinthias-Itaquera e Artur Alvim haviam sido reabertas. Essas estações funcionam até 0h19 e 0h21, respectivamente.

Investigação. Em nota na noite desta terça, o Metrô disse que a causa do incidente "só poderá ser determinada após detalhada investigação da Comissão Permanente de Segurança (Copese), formada por especialistas". 

Segundo o Metrô, "qualquer conclusão antes da perícia, além de precipitada, seria irresponsável".

A nota diz ainda que os 25 trens da frota K passam regularmente pelos mesmos processos de manutenção de todas as composições. "Quando feitas comparações, os trens da frota K apresentam desempenho operacional e de segurança semelhante às demais frotas em operação, novas ou modernizadas".

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.