Trecho Sul do Rodoanel está às escuras

Energia elétrica só deverá ser instalada em 60 dias; à base de geradores, só 13 das 51 câmeras de monitoramento estão em operação

Eduardo Reina e Renato Machado, O Estado de S.Paulo

06 de maio de 2010 | 00h00

Mais de um mês após a inauguração, o Trecho Sul do Rodoanel ainda não tem energia elétrica em seus 61,4 quilômetros. Em consequência, as pistas estão praticamente às escuras. As únicas exceções são alguns pontos, como as pontes sobre represas e os acessos, onde são usados geradores elétricos à base de óleo diesel. A previsão é de que a eletricidade só seja ligada em 60 dias.

O projeto para a iluminação das pistas foi enviado para a Eletropaulo em janeiro pela Desenvolvimento Rodoviário S/A (Dersa), responsável pela obra. Além dos trechos de escuridão, a falta de energia elétrica também impede a instalação de câmeras de monitoramento.

Rodovias não contam com sistema de iluminação em toda a extensão, mas há luz em áreas com curvas perigosas, trechos urbanos e pontes. Como o Trecho Sul não apresenta muitos acessos ou curvas acentuadas, predomina a escuridão em praticamente toda a extensão.

A situação fez muitos motoristas evitarem utilizar o Trecho Sul à noite. "Tivemos registros de roubos, mas não necessariamente foram no nosso trecho. Muitas pessoas roubadas em outros locais podem ter registrado a ocorrência na nossa base", comenta o comandante do policiamento no Rodoanel, tenente Luís Antônio Caria.

Geradores. A Dersa instalou geradores elétricos para abastecer postes de iluminação sobre as pontes do Trecho Sul. Também funcionam com geradores o Serviço de Atendimento ao Usuários (SAU) e o posto do Comando de Policiamento Rodoviário.

"O ideal seria a iluminação começar pouco antes das pontes, porque a troca de um ambiente escuro por um claro pode provocar uma cegueira parcial, que dura cerca de três segundos. Ela deveria começar antes e aumentar a intensidade lentamente para os motoristas já chegarem na ponte adaptados", diz Dirceu Rodrigues Alves Júnior, diretor de comunicação da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego.

Readequação. Em nota, a Secretaria dos Transportes informou que o projeto de iluminação foi elaborado segundo normas técnicas e prevê iluminação nos principais acessos e pontes. "Rodovias não têm pistas iluminadas", ressalta. A pasta alega que segue cronograma fixado para o início de operação e o projeto de iluminação foi readequado em razão da mudança no sistema de entrada de energia nos postes, feita pela Eletropaulo.

PARA LEMBRAR

As Rodovias Federais Régis Bittencourt e Fernão Dias ainda não têm sistema de monitoramento por câmeras, apesar de o contrato de concessão prever esses equipamentos. Atualmente, de acordo com a OHL, grupo que administra as duas rodovias, está sendo instalada a fibra ótica nas estradas. Os postes começarão a ser instalados em junho. A previsão é de que até o fim do ano tudo esteja em funcionamento. Já a implementação da iluminação está prevista para ser concluída em 2013.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.