Trecho mais perigoso do País fica no Pará

A família de Maria Luziane Pinheiro, de 24 anos, ainda não conseguiu esquecer o que aconteceu com ela em julho do ano passado. Grávida de nove meses, a jovem morreu quando a motocicleta, pilotada pelo irmão com ela e dois filhos na garupa, bateu em um micro-ônibus no trecho mais perigoso de rodovia do País, no km 20 da Rodovia BR-316, entre as cidades de Ananindeua e Marituba, no Pará.

Carlos Mendes, O Estadao de S.Paulo

17 Março 2010 | 00h00

Maria foi levada para um hospital, mas o parto para salvar a vida do bebê não obteve sucesso. "Foi tudo muito rápido. Nunca vou esquecer daquele dia. Saímos de um ramal da estrada e íamos atravessar para o outro lado, quando o ônibus apareceu", contou o irmão, Evaldo Pinheiro Pereira. Ele e as duas filhas de Maria ficaram gravemente feridos. A versão da Polícia Rodoviária Federal para o acidente é outra: Pereira não prestou a devida atenção e ainda acelerou a moto quando atravessava a pista, o que teria provocado a colisão.

O vendedor de água Edielson Ferreira dos Santos, que transita pela rodovia em sua bicicleta, disse ao Estado que já testemunhou inúmeros atropelamentos. "O pessoal se arrisca muito", diz. Nos últimos oito meses, segundo as prefeituras por onde a rodovia passa, 37 pessoas morreram em acidentes na BR-316, entre a entrada de Belém e a cidade de Benevides.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.