Trecho do Rodoanel não tem telefones

Trecho do Rodoanel não tem telefones

Faltam equipamentos de emergência na parte sul do anel viário, que será aberta amanhã, e câmeras de vigilância também estão inoperantes

Bruno Ribeiro, O Estadao de S.Paulo

31 Março 2010 | 00h00

O usuário do Trecho Sul do Rodoanel que passar por uma emergência, como uma pane mecânica no carro, terá de contar com o telefone celular para pedir socorro. A pista, inaugurada ontem e que só vai funcionar a partir das 6 horas de amanhã, ainda não tem instalados os telefones de emergência prometidos pelo governo do Estado. As câmeras de vigilância da rodovia também estão desligadas.

Não há prazo para que esses equipamentos estejam funcionando, segundo a Secretaria de Estado dos Transportes. No caso das câmeras de vigilância da estrada, elas só vão operar após a escolha da concessionária que vai operar os postos de pedágio da via - o que só deve ocorrer no começo do próximo ano.

Os telefones de emergência vão ser operados, provisoriamente, pela empresa Desenvolvimento Rodoviário S.A. (Dersa), ligada ao governo do Estado, segundo disse o secretário Estadual dos Transportes, Mauro Arce. Ele falou que haverá um telefone a cada quilômetro do Trecho Sul, que tem, ao todo, 61,4 quilômetros de extensão. "Para nossa sorte, há sinal de celular em quase todo o trecho", disse o secretário.

Até ontem, no entanto, esses aparelhos fixos da Dersa não estavam instalados, pelo menos nos últimos 10 quilômetros da pista.

Isolamento. O problema é acrescido pelo fato de o Trecho Sul do Rodoanel ser uma via isolada. As únicas ligações da pista são com as outras rodovias da região - Régis Bittencourt, Anchieta e Imigrantes. Se o viajante se sentir mal, por exemplo, não haverá postos de combustível para parar e procurar socorro médico. No máximo, haverá moradias, como na região da Represa Billings, cujos imóveis ficam ao lado da rodovia.

Para o secretário, a falta dos telefones de emergência não vai atrapalhar a segurança dos usuários. Segundo ele, tanto a Dersa quanto a Polícia Militar Rodoviária farão monitoramento da via e prestarão auxílio para carros que, por qualquer que seja o motivo, pararem na estrada.

Os efetivos dos dois órgãos deslocados para o Trecho Sul do Rodoanel somam 113 agentes (cerca de dois por quilômetro) e 19 veículos (um a cada três quilômetros). Além disso, a via conta com duas ambulâncias e cinco carros com guinchos, que se revezam 24 horas no atendimento aos motoristas que trafegam na pista.

No ritmo certo. O secretário Arce negou que tenha havido pressa para entregar o Rodoanel - mesmo com essas pendências - por motivos políticos. "Se você tem uma obra de R$ 5 bilhões, faltam R$ 10 para (a obra) ficar pronta e você não entrega, está indo contra toda a economia."

Além de câmeras e telefones, a pista ainda tem trechos sem faixas pintadas e sem gramado. Entre as cidades de Itapecerica da Serra e Embu, na Grande São Paulo, também há um trecho cujo asfalto só deve ficar pronto hoje, segundo Arce. Ele disse que o adiamento da abertura das pistas para amanhã foi um pedido da Polícia Militar Rodoviária.

Concessão. A previsão é de que os postos de pedágio da pista comecem a funcionar no primeiro semestre do ano que vem, segundo o governo do Estado. A tarifa máxima será de R$ 6. O preço exato, no entanto, será definido por licitação pública: vence a empresa que oferecer a tarifa mais barata.

A concessionária que receber a arrecadação dos pedágios vai substituir os agentes da Dersa na gestão da rodovia - mas não disse se ela vai operar a central telefônica de emergência.

Só com a escolha dessa empresa que a central de monitoramento das câmeras de vigilância da pista estarão funcionando. Essa mesma empresa também será responsável pela construção do Trecho Leste do Rodoanel. COLABOROU FABIO MAZZITELLI

PRESTE ATENÇÃO...

1. O que falta fazer.

Pintura de sinalização horizontal (faixas no asfalto) e instalação de grama e acabamento da estrutura das pontes, além de obras no asfalto

2. Pedágio. As pistas entrarão em operação sem a cobrança de pedágio. Licitação para escolher a empresa que vai cobrar a tarifa ainda está em preparação. Haverá praça de pedágio na interligação com o Trecho Oeste, na saída da Régis Bittencourt, nas quatro saídas para a Anchieta e a Imigrantes e no fim da alça sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.