Transporte público

ÔNIBUS ATRASADOS E MAL CONSERVADOS

, O Estado de S.Paulo

20 de agosto de 2010 | 00h00

PARQUE DA ÁGUA BRANCA

Poda e corte de árvores

No Parque da Água Branca vemos troncos empilhados, inclusive de árvores centenárias. Há uma pista de cooper de terra batida revestida de pedregulhos. As aves e os gatos que faziam a alegria dos frequentadores sumiram. O Espaço Cultural Tattersal foi reformado e se transformou num "cineminha" para crianças. Ora, o parque deveria ser usado para elas brincarem ao ar livre.

MARIA A.PICAGLI / SÃO PAULO

A diretoria do Parque da Água Branca informa que os trabalhos de supressão e podas feitos nas árvores foram necessários e as intervenções são feitas sob a supervisão de um engenheiro do Instituto Florestal. Acrescenta que o Conselho do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat) e o Departamento de Parques e Áreas Verdes (Depave) forneceram as devidas autorizações. Explica que as árvores cortadas chegaram ao fim de seu ciclo de vida e alguns exemplares precisaram ser podados. Responde que a partir da limpeza da área foi possível identificar que há várias espécies arbóreas de grande porte que estavam em estágio avançado de deterioração e com idade avançada - apresentando risco iminente de queda. Diz que serão plantadas espécies nativas nobres para compensar a retirada e o objetivo é que, no futuro, elas sejam exemplares dominantes no parque. Esclarece que essas ações vão originar na parte superior do parque a Trilha do Pau-Brasil, onde haverá uma coleção de espécies nativas e exóticas para fins educativos, de interpretação e de contemplação. Destaca que uma vegetação que atrai mais pássaros está sendo plantada no Bosque das Palmeiras para preservar as nascentes e que serão instaladas trilhas no local para evitar o pisoteamento da área. Ressalta que a revitalização do parque é comunicada aos frequentadores pelo jornal mural. Explica que todas as ações realizadas no Parque da Água Branca têm como objetivo dar mais segurança aos frequentadores e permitir que o local seja cada vez mais uma referência em termos de lazer e bem-estar para a população, preservando suas raízes rurais.

PROGRAMA SMILES

Milhagem negada

Em outubro de 2009, comprei pela Decolar passagens e usei meu cartão Smiles para acumular pontos, pois disseram que havia uma parceria da Gol e da Varig com a Air France. Mas a milhagem não foi creditada. Depois de seis meses de reclamações, recebi uma resposta dizendo que eu não tinha direito aos pontos porque comprara uma passagem promocional. Estranho, pois minha mulher viajou no mesmo voo e ela teve a milhagem creditada.

NICOLAU DORIA / SÃO PAULO

A Gol informa que, após a análise da documentação comprobatória enviada, foi verificado que a base tarifária voada é inválida para o crédito de milhas no Programa Smiles. Ressalta que os créditos referentes ao voo da mulher do sr. Doria também não foram validados pelas mesmas razões.

O leitor comenta: Quando eu adquiri as passagens, não havia nenhum aviso no site informando que eu não tinha direito

às milhagens. P

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.