Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Trânsito é liberado na Ponte da Casa Verde após 3 meses de interdição parcial

Estrutura passou por obras emergenciais após ser atingida por caminhões; laudo de 8 pontes e viadutos será divulgado nesta quarta

Priscila Mengue, O Estado de S.Paulo

22 de maio de 2019 | 11h32

A Prefeitura de São Paulo liberou o trânsito na Ponte da Casa Verde na manhã desta quarta-feira, 22, na zona norte da capital paulista. O local estava com uma faixa interditada desde fevereiro, quando teve a parte inferior da estrutura atingida por dois caminhões. 

A ponte passa por obras emergenciais desde 25 de fevereiro, recomendadas por um laudo técnico. Hoje, está recebendo cabos de aço, que são instalados na viga de apoio da estrutura. A “recomposição” das duas vigas danificadas está concluída.

O custo estimado é de R$ 2,2 milhões. "Não estamos entregando a ponte completa, é apenas a liberação, porque não há a necessidade, hoje, de continuar fazendo as intervenções com ela interditada", diz o prefeito, Bruno Covas (PSDB).

A estrutura é uma das 16 pontes e viadutos avaliados por técnicos contratados de forma emergencial em janeiro. Segundo a Prefeitura, metade dos laudos, inclusive da Casa Verde, serão entregues e divulgados ainda nesta quarta-feira e definirão as próximas intervenções a serem feitas. 

“O laudo serve exatamente para isto: apontar para a Prefeitura se há necessidade de alguma obra emergencial, se há a necessidade de alguma obra que pode ser de uma forma não emergencial (com licitação), para poder garantir a segurança das pessoas que utilizam as pontes e viadutos”, explica Covas. “O laudo, de uma vez por todas, dá a garantia para a população da real situação que estão essas pontes e viadutos.”

Hoje, outras estruturas do tipo seguem interditadas na cidade. Uma delas é a ponte da Marginal do Tietê que dá acesso à Via Dutra, interditada desde 23 de janeiro e que deve ter as obras emergenciais entregues em 25 de junho. 

Já a Ponte da Freguesia do Ó, na zona norte, deve ser totalmente aberta para o tráfego em 13 de junho, estando com uma faixa fechada desde 11 de março. O Viaduto General Olímpio da Silveira, no centro expandido, segue com a circulação restrita para veículos com menos de cinco toneladas por tempo indeterminado.

O Plano de Metas da gestão Covas prevê a inspeção de 185 pontes, viadutos, passarelas e túneis, além da manutenção e recuperação de 50 dessas estruturas. Do total, 73 foram vistoriadas, das quais 18 tiveram laudos estruturais emergenciais. Segundo Covas, devem ser contratadas as empresas que farão a avaliação de outras 17 pontes e viadutos ainda neste mês.

Em março, o Ministério Público entrou com uma ação civil pública na Justiça para que a Prefeitura impeça ou restrinja a circulação de veículos em pontes e viadutos em situação de “grave risco”. "Nós entedemos que é uma cautela excessiva e que isso vai causar um prejuízo muito grande à cidade", justifica Covas. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.