Trânsito carregado na Marginal do Tietê no segundo dia de restrição de caminhões

A maioria dos motoristas de caminhões respeitou os novos horários de restrição

Solange Spigliatti, estadão.com.br

06 Março 2012 | 07h35

SÃO PAULO - O segundo dia de restrição de tráfego de caminhões na Marginal do Tietê voltou a apresentar tráfego intenso na manhã desta terça-feira, 6. Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), os mais de 14 quilômetros de trechos congestionados nos dois sentidos da via eram provocados pelo excesso de veículos.

 

Os motoristas encontravam sete quilômetros de trânsito carregado na pista expressa, sentido Lapa, entre a Rodovia Castelo Branco e Ponte da Freguesia do Ó. A lentidão também estava na pista local, entre as Pontes Nova Fepasa e Velha Fepasa, com 2,5 quilômetros. Do outro lado, a pista local tinha 2,5 quilômetros de retenção entre as Pontes da Casa Verde e Freguesia do Ó.

 

Além da Marginal, a cidade registrava vários trechos de lentidão, principalmente na zona sul. O índice de congestionamento estava em 70 quilômetros às 7h30, bem acima da média para o período. Ontem, no mesmo horário, São Paulo registrava 24 quilômetros de trânsito lento.

 

Restrição - No primeiro dia de proibição de circulação dos caminhões pela marginal, a maior parte dos caminhoneiros respeitou os novos horários de restrição. Com isso, a cidade teve reduções nos índices de congestionamento de até 54,2% no horário de pico da tarde. Às 18 horas, quando a média de lentidão é de 110,2 quilômetros, a cidade registrou apenas 61,5 quilômetros de trânsito, segundo as informações do monitoramento online feito pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET).

 

A CET não informou quantos caminhoneiros foram multados no primeiro dia das novas regras. O tráfego de caminhões está proibido das 5h às 9h e das 17h às 22h, de segunda a sexta-feira e, aos sábados, das 10h às 14h. Por dia, pela Marginal, circulam 35 mil caminhões, segundo a companhia.

Mais conteúdo sobre:
Marginal do Tietê restrição caminhões

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.