Tráfico mata 6 jovens em chacina no RJ

Executados em parque de Mesquita, eles não tinham passagem pela polícia e teriam sido confundidos com rivais de traficantes da Favela da Chatuba

CLARISSA THOMÉ / RIO, O Estado de S.Paulo

11 Setembro 2012 | 03h07

Os corpos de seis jovens foram encontrados na manhã de ontem, em um canteiro de obras da duplicação da Rodovia Presidente Dutra, em Mesquita, na Baixada Fluminense. Os rapazes não tinham envolvimento com o tráfico de drogas. Eles estavam desaparecidos desde sábado, quando saíram de casa para tomar um banho de cachoeira no Parque de Gericinó. Para a polícia, a chacina foi cometida como uma "demonstração de força" de traficantes que atuam na Favela da Chatuba, perto do parque.

Amigos de infância e moradores de Nilópolis, cidade da Baixada Fluminense, os jovens costumavam ir ao parque nos fins de semana. No sábado, com a demora dos rapazes, o pai de um deles tentou fazer contato pelo celular. O telefone foi atendido por um homem que disse estar "cumprindo uma missão". Em outra ligação, o criminoso disse que ele "deveria fazer outros filhos", porque "aquele já era".

O desaparecimento foi registrado na 57.ª Delegacia de Polícia (Nilópolis). As vítimas são Christian Vieira, de 19 anos; Victor Hugo Costa, Douglas Ribeiro e Glauber Siqueira, de 17; e Josias Searles e Patrick Machado, de 16.

Na manhã de ontem, os corpos foram achados por operários que trabalham na duplicação da Dutra. Os jovens foram colocados lado a lado. Estavam nus, amarrados e amordaçados, enrolados em lençóis. Foram mortos a tiros e a facadas.

Barbárie. Para a delegada Sandra Ornelas, da Delegacia de Nilópolis, os jovens estavam "no lugar errado, na hora errada". "Eles não têm passagens pela polícia. Foi uma demonstração de poder dos traficantes para demarcar território", disse a delegada, que classificou o crime de "barbárie injustificável".

O irmão de um dos adolescentes contou ao site de notícias G1 que a família chegou a ir à Favela da Chatuba, para negociar com traficantes a liberação dos jovens. Foram avisados de que os rapazes haviam sido confundidos com "os alemão", gíria para traficantes de facção rival. O rapaz contou que não houve represália ou ameaça dos criminosos aos parentes dos garotos.

Investigações. Ontem, policiais militares do Batalhão de Choque (BPChoque) prenderam dois homens com drogas, na operação realizada no Parque de Gericinó para tentar encontrar os assassinos dos adolescentes e checar a informação de que haveria outros corpos no local.

Os presos foram Romário Aguiar Vieira, de 18 anos, e Henrique José de Oliveira, de 32 anos. Não havia a informação, até as 19h de ontem, de que os detidos estivessem envolvidos nos crimes do parque.

Chacina. Anteontem, três homens e uma mulher foram assassinados em Japeri, na Baixada Fluminense. A chacina foi cometida em uma casa que funcionava como boca de fumo. Os quatro foram mortos com tiros na testa. Entre as vítimas, estavam dois adolescentes, de 15 e 16 anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.