Traficante suspeito de matar policial é preso em SP

Soldado da PM foi morto no último 17 de dezembro ao tentar evitar o roubo de uma carga de eletroeletrônicos

Ricardo Valota, Estadão.com.br

15 Janeiro 2011 | 05h38

SÃO PAULO - Policiais militares do 27º e 22º batalhões acreditam ter encontrado, na noite de sexta-feira, 15, um traficante acusado de participar, em 17 de dezembro de 2010, da morte do soldado PM Carlos Alberto do Amaral, que prestava serviço como motorista na Polícia Judiciária.

Leandro Cordeiro Pereira, de 23 anos, o "Lê", foi detido pela PM na casa do avô, na rua Constâncio José Soares, no Jardim Domitila, região de Cidade Ademar, zona sul de São Paulo, após a polícia receber denúncia de que Pereira, o irmão dele e outros quatro bandidos estavam reunidos na entrada da favela localizada naquele trecho da rua.

Em liberdade condicional, "Lê" foi o único encontrado no local. O criminoso, ao ser interrogado no 98º Distrito Policial, do Jardim Miriam, não assumiu ter participado da morte do soldado, mas admitiu gerenciar o tráfico de drogas na região. Com ele foram encontrados uma pistola 765, cerca de 500 gramas de maconha, algumas pedras de crack, R$ 855,00 e anotações sobre o movimento do tráfico. "Do local onde ele foi preso até o local onde o policial foi morto são apenas 15 metros", afirmou o capitão PM Salomão.

Morte. O soldado foi morto no último 17 de dezembro ao tentar evitar o roubo de uma carga de eletroeletrônicos por ele escoltada. Ferido com três disparos, Carlos foi levado para o hospital mas não resistiu aos ferimentos. A moto que estava com o policial foi roubada. Um suspeito foi preso posteriormente com uma pistola calibre 45, mas não foi comprovado o envolvimento dele no crime. Carlos Alberto, que atuava no ABC, teve o corpo velado e enterrado em Santo André. O soldado estava havia 21 anos na corporação.

Mais conteúdo sobre:
São Paulo violência

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.