Tráfego é intenso nas rodovias litorâneas de SP nesta quarta

Uma pessoa ficou levemente ferida após perder o controle do veículo e capotar na Rodovia Fernão Dias

Solange Spigliatti, estadao.com.br

25 Fevereiro 2009 | 08h42

O tráfego de veículos no retorno para São Paulo continuava intenso em todas as rodovias litorâneas do Estado por volta das 8h15 desta quarta-feira de Cinzas, 25.   Segundo o Departamento de Estradas e Rodagem (DER), as rodovias Mogi-Bertioga, Rio-Santos e dos Tamoios seguiam com trânsito intenso, mas com boa fluidez.   O movimento também era intenso em toda a extensão da Rodovia dos Imigrantes, principalmente no trecho de serra, mas sem pontos de paradas, segundo a Ecovias.   Nas demais rodovias, como a Régis Bittencourt, Presidente Dutra, Castelo Branco, Raposo Tavares, Bandeirantes e Anhanguera, o movimento estava tranquilo.   Fernão Dias   Uma pessoa ficou levemente ferida no começo da manhã após o veículo capotar na pista sentido São Paulo da Rodovia Fernão Dias. Por volta das 6h30, a barra de direção de um Jeep quebrou, segundo informações do motorista, que acabou perdendo o controle do veículo, capotando na altura do km 69, próximo ao Túnel da Mata Fria, em Mairiporã. O veículo foi retirado rapidamente da rodovia e não causou congestionamento. O fluxo de veículos estava abaixo do normal, segundo a Polícia Rodoviária Federal.   Balsas   O tempo de travessia das balsas no litoral sul e norte de São Paulo era considerado normal, sem filas, segundo o Desenvolvimento Rodoviário S.A. (Dersa).   Santos-Guarujá: as cinco balsas operavam com o tempo de travessia em 15 minutos, nos dois lados.   Ilhabela-São Sebastião: o motorista esperava 20 minutos para realizar a travessia, para os dois lados, que estava sendo feita por quatro balsas.   Cananéia-Ilha Comprida: o tempo de espera para a travessia, feita por uma balsa, era de 20 minutos.

Mais conteúdo sobre:
estradasSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.