Felipe Rau/AE
Felipe Rau/AE

Tradicional boneca russa vira hit entre descolados

As matrioshkas e suas variações aparecem em roupas, bolsas e objetos de decoração

Valéria França, O Estado de S.Paulo

10 de setembro de 2011 | 00h00

Elas são divertidas, simpáticas e ainda revelam a riqueza do artesanato russo. As matrioshkas ou mamushkas, como também são chamadas, são bonecas de madeira pintadas à mão, que surgiram no fim do século 19. Agora, elas inspiram os mais diferentes objetos.

Na forma mais tradicional, com faces redondas e com trajes comuns às camponesas da época, surgem em estampas de camiseta, vestidos e bolsas. Também aparecem em artigos de decoração, em kits para manicure, com lixa, cortador e pinça, e até em doces.

Origem. Matrioshka era um dos nomes mais comuns entre as russas quando a boneca surgiu. Vem do latim, "mater", que quer dizer mãe. E isso não é por acaso. A boneca foi projetada com uma divisão no meio. Ao abri-la, encontra-se outra boneca, igual mas menor, e dentro desta, outra, e assim a brincadeira se repete até se chegar a um protótipo minúsculo.

"Minha avó tinha as bonecas russas em casa", lembra com carinho a advogada Paula Richter, de 35 anos. "Por isso, quando engravidei da Valentina, resolvi usá-la como motivo de decoração do quarto."

Na estante do bebê há pelo menos 60 matrioshkas, dos mais diferentes tipos, estilos e tamanhos. Ela ainda aparece em almofadas e adesivos de parede. O primeiro lugar que Paula visitou foi a Casa da Rússia - que está liquidando o estoque porque até o fim do mês muda de endereço. Está vendendo tudo com 50% de desconto.

Paula também descobriu o site de Giovanna Moretto, uma estilista especializada em roupas com estampas folclóricas. Lá, comprou um quimono para a filha - que tem apenas 2 meses - e um vestido longuete (com a barra no meio da perna), que ela usa na foto ao lado.

Outro endereço para achar roupas descoladas com a estampa da matrioshka é a loja Je Suis Amelie, que abriu há dois meses na Rua Augusta. A dona é a estilista Vânia Chinaglia, que bolou batas e vestidos tomara que caia.

Há muitas interpretações bem-humoradas da boneca. A artista plástica Raquel Hoshino, por exemplo, desenvolveu um híbrido com a japonesa kokeshi. Na loja Pylones do Brasil, ela vem de piteira na boca. E cada boneca que sai de dentro da matrioshka mãe vem com menos roupa. A última, a menor, está nua.

ONDE: GIFT BY MOMA (6): R. DIOGO JACOME, 489, V. NOVA CONCEIÇÃO; TEL.: (11) 3045-3394; CASA DA RÚSSIA (3): TEL.: (11) 3031-0332; GIOVANNA MORETTO: GIOVANNAMORETTO.COM.BR; KARE (5): WWW.KARE-SAOPAULO.COM.BR; LOVE BLANKIE: WWW.LOVEBLANKIE.COM.BR; JAPONIQUE(2): R. GIRASSOL, 175, V. MADALENA; PYLONES DO BRASIL(1): SHOP. IGUATEMI ALPHAVILLE; TEL.: (11) 4209-1642; JE SUIS AMELIE: R. AUGUSTA, 1.492, SOBRELOJA 1; TEL.: (11) 7558-2156;

FABIOLA TOSCHI (4): WWW.FABIOLATOSCHI.COM.BR.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.