Traçado vai ocupar área de 18 campos

Nem a Prefeitura nem o Metrô souberam informar como será a desapropriação da área do Condomínio Andalus construída sobre o traçado do monotrilho no Morumbi. Questionado pelo Estado, o Metrô informou que quem poderia responder sobre as desapropriações é a Prefeitura, pois ela é quem construirá a avenida pela qual passará o monotrilho, a Via Perimetral.

O Estado de S.Paulo

24 de junho de 2012 | 03h03

A administração municipal, por sua vez, informou que as áreas a serem declaradas de utilidade pública ainda estão em estudo e não é possível precisar exatamente qual área será desapropriada. Por isso, o custo extra da desapropriação de todo o prédio não foi informado.

A Cyrela afirmou, por meio de nota, que "o empreendimento Andalus, aprovado em 14 de novembro de 2009, com alvará de execução 2010/00146-00, emitido em 9 de março de 2010, está sendo construído conforme a planta do processo n.º 2009.215.170-0". "Sendo assim, o empreendimento atende a todas as aprovações necessárias junto aos órgãos reguladores", afirma no texto.

A desapropriação de parte do terreno do Andalus já estava prevista no Estudo de Impacto Ambiental do monotrilho. O Metrô espera gastar R$ 185 milhões para desapropriar até 132 mil metros quadrados em toda a linha, uma área equivalente a 18 campos de futebol, para criar a Linha 17 do Metrô.

Em média, o Metrô vai gastar R$ 1.400 para desapropriar cada metro quadrado. Segundo a Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp), porém, só o terreno nessas regiões pode chegar a R$ 1.500 o m². Já o m² de apartamentos e casas chega a R$ 7 mil. / D. Z. e R. B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.