Traçado de contorno da Tamoios muda para reduzir impactos

Proposta foi apresentada a prefeitos do litoral norte; obra tem como objetivo desviar o tráfego do centro de Caraguatatuba

Tiago Dantas, O Estado de S.Paulo

28 de junho de 2013 | 02h04

O traçado dos contornos da Rodovia dos Tamoios foi alterado pelo governo do Estado e apresentado ontem a prefeitos do litoral norte de São Paulo. As mudanças diminuíram em 33% o impacto ambiental e em 23% o total de desapropriações, conforme a empresa Desenvolvimento Rodoviário S.A. (Dersa). O custo da obra permanecerá o mesmo: R$ 1,940 bilhão.

Os contornos são duas pistas, uma ao norte e outra ao sul da Tamoios, que serão destinadas exclusivamente para o tráfego de caminhões, o que deve reduzir o trânsito em Caraguatatuba e em São Sebastião. O projeto prevê a construção de um acesso ao Porto de São Sebastião, evitando as filas de carretas.

As mudanças atendem a determinações feitas pela Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), em setembro, ao conceder a licença ambiental prévia do empreendimento. O novo traçado tem 34,5 km e é 2.450 metros mais curto do que o desenho antigo. Por outro lado, há mais 900 metros de túneis - o que fará com que o valor da obra seja mantido.

A Dersa espera receber a licença de instalação para autorizar as empresas a começar a trabalhar. O serviço deve ser concluído três anos após o início das obras, segundo o presidente da Dersa, Laurence Casagrande Lourenço. "A Tamoios virou praticamente uma avenida nessas duas cidades. E o trânsito rodoviário acaba prejudicando o tráfego dos municípios", disse ele.

Moradias. O número de imóveis que serão desapropriados caiu de 375 para 288 com o novo trajeto. Serão reassentadas 624 famílias - o projeto anterior previa que 1.247 famílias tivessem de sair de suas casas. A redução será possível porque um trecho da pista do Contorno Norte ficará mais distante da parte urbanizada. Nos bairros de Topolândia e Olaria, em São Sebastião, a remoção de famílias passará de 398 para 104.

Já o recuo na área desmatada envolve a construção de mais túneis. O desmatamento atingirá 35 hectares, o equivalente a 350 mil m², ou um quarto do Parque do Ibirapuera. Antes da alteração de traçado, eram 52 hectares. Os contornos da Tamoios enfrentam a resistência de ambientalistas, por atravessar trecho de mata fechada na Serra do Mar. A Dersa dividiu a nova rodovia em quatro lotes, cujas obras devem ser tocadas ao mesmo tempo. Até 16 de dezembro, a Dersa pretende entregar a duplicação de 49 km do trecho de planalto da Tamoios, cujas obras começaram em maio de 2012.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.