Trabalho de demolição de templo da Renascer é retomado

Trabalho foi interrompido no sábado para continuar nesta segunda, mas ação emergencial ocorreu no domingo

Elvis Pereira, estadao.com.br

26 Janeiro 2009 | 17h20

  SÃO PAULO - A empresa Diez continuou nesta segunda-feira, 26, com trabalhos de demolição do que restou da Igreja Renascer em Cristo, no Cambuci, centro de São Paulo, cujo teto desabou no último dia 18, matando 9 pessoas. Segundo a assessoria de imprensa da Renascer, não há previsão de quando a obra deve ser concluída. A Defesa Civil, no entanto, acredita que a demolição deve durar uma semana. Quase a metade do muro que ameaçava cair sobre casas vizinhas já foi retirada, eliminando a inclinação da estrutura.   Veja também: Menina ferida vai para o quarto Renascer está sofrendo perseguição, diz casal Henandes Peritos vão reconstituir telhado de igreja  Galeria de fotos: imagens do local e do resgate às vítimas  Todas as notícias sobre o desabamento na Igreja Renascer     Os operários acabaram o expediente por volta das 17 horas e devem continuar nesta terça. Os fundos de uma loja e oito residências situadas ao lado da igreja permanecem interditadas. Entre 12 e 13 horas desta segunda, a Defesa Civil permitiu ao moradores desalojados que entrassem nos imóveis para retirar seus pertences. O intervalo é o horário do almoço dos operários, que têm removido os tijolos com a ajuda de picaretas e marretas. Durante a obra, pelo menos dois peritos do Instituto de Criminalística (IC) periciam o local.     A empresa começou a demolir os muros do templo no sábado e no mesmo dia suspendeu os trabalhos por conta do risco que a ação estaria colocando nos imóveis vizinhos, remarcando para esta segunda. Porém, no domingo, a demolidora teve que fazer um trabalho emergencial, para que o muro não caísse sobre as casas.    Com a perda do templo, o culto da Renascer teve de ser transferido para um salão alugado na Avenida Paulista neste fim de semana. Porém, o Club Homs recebeu três notificações de multa de R$ 1,8 mil, no domingo, por desobedecer ordem a Prefeitura e realizar evento no local mesmo sem apresentar alvará de funcionamento. O clube já havia recebido mais duas multas - uma de R$ 34,5 mil e outra de R$ 1,8 mil - por não apresentar o documento na sexta, quando foi solicitado, e por realizar um casamento no sábado.

Mais conteúdo sobre:
igreja Renascer tragédia na Renascer

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.