Total de usuários para de crescer pela 1ª vez em 3 anos

Pela primeira vez desde 2009, Congonhas parou de ganhar passageiros. A Infraero estima que o aeroporto vá fechar o ano com um movimento de 16,8 milhões de passageiros de janeiro a dezembro - em 2011, teve quase o mesmo número: 16,7 milhões.

O Estado de S.Paulo

18 de dezembro de 2012 | 02h02

Entre 2006 e 2009, em plena crise aérea e com o trauma do acidente com o avião da TAM, que matou 199 pessoas em julho de 2007, Congonhas restringiu a movimentação de pousos e decolagens e perdeu quase 5 milhões de passageiros: de 18,4 milhões em 2006, caiu para 13,6 milhões em 2009.

Já Cumbica, em Guarulhos, cresceu. Em 2011, fechou o ano com 30 milhões de passageiros - um recorde. Neste ano, as projeções da concessionária GRU Airport são de 33 milhões de passageiros.

"Congonhas está estagnado porque as duas grandes empresas que operam lá, Gol e TAM, estão colocando o pé no freio. Cancelam voos e não cedem espaço para outras empresas", explica o engenheiro aeronáutico e professor da USP Jorge Leal Medeiros. Juntas, Gol e TAM são responsáveis por 90% dos voos em Congonhas. / N.C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.