TOLERÂNCIA ZERO: POLÍTICA DE NY É SEMPRE LEMBRADA

Ações anticriminalidade adotadas nos anos 1990 por cidade americana foram sugeridas por participantes da pesquisa

O Estado de S.Paulo

25 Janeiro 2013 | 02h13

Nove participantes da pesquisa Que SP Vc Quer? mencionaram Nova York para frisar como gostariam que os problemas de criminalidade paulistanos fossem resolvidos. A cidade americana transformou-se no início dos anos 1990, principalmente durante a gestão do prefeito Rudolph Giuliani - elogiada por muitos, contestada por alguns.

Ele instaurou a política conhecida como "tolerância zero" contra crimes e contravenções. Os resultados não demoraram a aparecer. Durante seu governo, as taxas de criminalidade de Nova York caíram pela metade.

A polícia local passou a usar a tecnologia a seu favor. Um sistema - batizado de Compsat - foi criado para detectar os principais locais de criminalidade, permitindo policiá-los melhor.

Após estudo indicar que 53% dos homicídios registrados em Nova York tinham relação com drogas, a polícia da cidade fortaleceu o combate ao tráfico, reforçando o patrulhamento em regiões conhecidas pela venda de entorpecentes. A operação foi toda dividida em bairros e, não raras vezes, policiais à paisana se fizeram passar por consumidores para entender melhor como funcionava o tráfico.

Resultado: em 25 anos, o número de homicídios ocorridos em Nova York caiu de 1.672 (em 1987) para 414 (em 2012), o menor número registrado em cinco décadas, desde quando começaram a ser coletados dados sobre criminalidade na cidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.