''Todo mundo faz. Os corretores já dão a dica''

Mas o comprador precisa ficar atento. Como o fechamento da varanda altera a fachada do prédio, é necessário haver consenso do condomínio

Paulo Sampaio, O Estado de S.Paulo

14 Agosto 2010 | 00h00

Feliz da vida com a possibilidade de transformar sua varanda em um prolongamento do living, o advogado André Lívio Ribeiro, de 42 anos, conta que pensou em fechar a área desde que viu a planta no estande. "Todo mundo faz isso hoje, os corretores já até dão a dica. Quem me falou foi um amigo que comprou apartamento a duas quadras do meu", diz Ribeiro, que aguarda as chaves do imóvel, em construção no Campo Belo. Com a varanda fechada, sua sala, que tem 18 m², ganhou mais 9 m².

O corretor pode até dar "dicas" ao comprador, mas nada de promessas oficiais. O apartamento tem de ser entregue com a varanda aberta, sob risco de ela deixar de ser "área não computável". Além do mais, envidraçar a varanda altera a fechada do prédio. Ou seja: só depois da primeira reunião de condomínio André vai ter certeza se poderá (ou não) fechar a varanda. Ele acredita que "isso é fácil". "Sempre se aprova", acredita.

De acordo com o advogado Márcio Rachkorsky, especialista em condomínio, "o assunto é polêmico". "Fechamento de varandas é a pauta mais discutida em reuniões e assembleias de condomínio", diz.

Na experiência de Rachkorsky, "muito morador se empolga no estande de vendas e, quando recebe as chaves, diz para o decorador: "Faz igual!"". "Logo vem uma notificação do condomínio, informando que a realização do projeto depende de aprovação em assembleia", explica.

Márcio orienta os compradores desses apartamentos a não se deixarem levar por promessas informais de corretores nem por sugestões na decoração dos apartamentos. "É preciso saber até mesmo se a estrutura da varanda segura a janela de vidro, que é pesada. E não dá para ir quebrando vão de varanda aleatoriamente (para a instalação do envidraçamento)."

Segundo Alexandre Furtado, da Vetro System, "muitas construtoras já deixam o vão pronto para a instalação dos vidros." Sem querer agourar o projeto de André, Márcio alerta para um dos efeitos colaterais recorrentes no fechamento de varandas. "Se o sol bate direto, aquilo vira uma estufa e o morador vai querer colocar cortinas, toldos, alterar de novo a fachada."

E haverá mais reunião de condomínio. Pensar que, originalmente, a varanda era lugar para "tomar fresca".

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.