Todo brasileiro é meio censor

Calma!

TUTTY HUMOR, O Estado de S.Paulo

27 Setembro 2012 | 03h04

A persistir o empate técnico entre Serra e Haddad, a disputa pela vaga no segundo turno não será decidida nos pênaltis!

Tempo doido

Deu praia no inverno, está nevando na primavera... Não será surpresa para esta coluna se o carnaval coincidir com o fim do julgamento do mensalão! O pessoal está animado!

Personal consultor

Depois de contratar Felipão para consultor informal de sua pasta, o ministro Aldo Rebelo liga de 10 em 10 minutos para o técnico, que já começa a sentir saudades do Palmeiras! Bem feito!

Ferro-velho

A imagem de país atrasado voltou a assombrar o Brasil com a notícia de que policiais do Bope apreenderam no Morro do Salgueiro, zona norte do Rio, uma metralhadora americana usada na Primeira Guerra Mundial.

Já vimos este filme

Preocupada com as pesquisas, a campanha de Hugo Chávez está semeando dúvidas nas venezuelanas sobre o candidato bonitão Henrique Capriles: "Ele é casado? Tem filhos?"

Eu, hein!

Que diabos o cinema brasileiro, Luiz Carlos Barreto à frente, tem contra a chamada "espetacularização" do julgamento do mensalão? Se fosse nos EUA, os caras de Hollywood estariam brigando pelos direitos da versão cinematográfica da história.

Visita íntima

"É HOJE!"

Carlinhos Cachoeira

Pode ser um traço do DNA da raça! Dos livros de Monteiro Lobato ao vídeo que ridiculariza o profeta Maomé, o primeiro impulso do brasileiro é sempre o de censurar.

Na mesma semana em que a acusação de racismo na obra do escritor infantil foi parar no STF, o Brasil se juntou a países como Afeganistão, Bangladesh e Paquistão na decisão judicial que obriga o Google a retirar do ar o besteirol Inocência dos Muçulmanos.

A boa notícia fica para o juiz eleitoral Adão Gomes de Carvalho, que revogou a censura que ele próprio impôs na semana passada ao blog do Estadão.com Direto de Brasília, por "trazer fatos à memória do eleitor".

Pode parecer absurdo, mas nada se compara à iniciativa do deputado Protógenes Queiroz, que dia desses saiu do cinema decidido a tirar o filme Ted de cartaz, revoltado com o personagem do ursinho de pelúcia maconheiro na comédia do gênero politicamente incorreta para marmanjos.

Provavelmente alertado sobre o mico que estava pagando no Twitter, Protógenes disse ontem que já se dará por satisfeito se a classificação etária do filme subir de 16 para 18 anos.

Ainda bem que ninguém lhe dá ouvidos no Ministério da Justiça!

Amar é...

O que leva uma jovem de 20 anos a leiloar sua virgindade na internet? A catarinense Catarina Migliorini entrou nessa para realizar o sonho de todas as moças de sua geração:

ganhar dinheiro para abrir uma ONG e investir num projeto de casas populares para famílias pobres do lugar onde nasceu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.