Reuters
Reuters

Todas as viaturas da PM de São Paulo ganharão tablets até o fim do ano

Ao custo de R$ 23,1 milhões, 16,5 mil equipamentos devem facilitar o trabalho dos policiais paulistas

Solange Spigliatti, estadão.com.br

18 de agosto de 2011 | 15h48

SÃO PAULO - Todas as 11 mil viaturas de quatro rodas da Polícia Militar de São Paulo terão um tablet instalado até o fim do ano, segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP). Os computadores de mão em formato de prancheta com telas sensíveis ao toque devem facilitar o trabalho dos policiais.

 

A aquisição de 16,5 mil tablets custou R$ 23,1 milhões ao governo e começou a ser instalado em janeiro deste ano. Neste mês de agosto, as viaturas que fazem o policiamento dos 39 municípios da região metropolitana de São Paulo receberão os tablets. Segundo o planejamento do comando, no mês de outubro, será a vez das viaturas do interior. Parte dos equipamentos será reservada para o policiamento com motocicletas.

 

De acordo com a SSP, três mil viaturas da PM na capital paulista já têm acoplados ao painel o equipamento, permitindo que, da rua, os policiais consultem os bancos de dados criminais e civis, registrem boletins de ocorrências, anotações e relatórios, além de enviarem informações ao comando.

 

Os tablets também vão ajudar as viaturas a chegarem mais rapidamente aos locais de ocorrências policiais. Equipados com GPS, são capazes de indicar com precisão o melhor roteiro para chegar a qualquer endereço. Ao mesmo tempo, permitirão que o comando da PM tenha maior controle e capacidade de mobilização das viaturas.

 

Com o novo aparelho, o trabalho operacional ganhará maior dinamismo e eficiência, segundo a SSP. Por conta da tecnologia, as unidades de comando poderão acompanhar, em tempo real, toda a movimentação das viaturas e convocar as mais próximas a cada nova ocorrência.

 

Tecnologia. O tablet tem duas câmeras embutidas, na frente e atrás, e todas as imagens são captadas com áudio e as gravações são enviadas para o Copom, onde ficam armazenadas. Com uma tela de LCD de sete polegadas, os policiais militares podem acessar os bancos de dados das polícias, fazer uma análise preventiva do local, usar o Sistema de Posicionamento Global (GPS, do inglês Global Positioning System), e fazer os boletins do Relatório de Averiguação de Incidentes Administrativos (Raia) e do BO da PM. A ferramenta usa o Android, sistema operacional que funciona sobre a plataforma Linux.

Tudo o que sabemos sobre:
políciatecnologia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.