Toda cidade amanheceu em flor

O prefeito Eduardo Paes abriu dia desses a entrevista coletiva que anunciou oficialmente a volta do Rock in Rio à sua cidade de origem cantando a música tema do festival: "Se a vida começasse agora/E o mundo fosse nosso outra vez/E a gente não parasse mais de cantar, de sonhar.../Uou uou uou uou!"

Tutty Vasques, tutty.vasques@estadao.com.br, O Estado de S.Paulo

18 de agosto de 2010 | 00h00

Tudo no Rio, ultimamente, parece um sonho: a final da Copa do Mundo, a Olimpíada, as UPPs, a revitalização do cais do porto, a parceria com o governo federal, o Fluminense e, agora, a Shakira, o Iron Maiden e o Guns n"Roses.

Nada contra o Rock in Rio! Temo apenas pelo carioca que vai aguentar por 1 ano inteirinho - o festival volta a Jacarepaguá em setembro de 2011 - o Roberto Medina falando de seus sonhos com Lady Gaga.

Nada contra o empresário e sua obsessão em unir os povos num uou uou uou uou definitivo. Mas alguém precisa fazer alguma coisa para conter essa sua onda de mercador de sonhos, que, associada ao estilo comemorativo da administração Eduardo Paes, pode resultar em overdose de espírito carioca na praça.

Daqui a pouco, vai ter gente aplaudindo pôr do sol em dia de chuva no Arpoador.

Escassez de notícia

É grave a crise na indústria de celebridades! A imprensa especializada já está cobrindo até participação de Geisy Arruda em videoclipe da banda de Alexandre Frota. Pode?

Ex-paulista

Muricy Ramalho está a cada dia mais carioca! Já chama o Fluminense de "meu tchime" e futebol de "futiból". Pegou o sotaque rapidinho! Fala "voceish", "tchia", "féista", "leitche", "tumatchi", "mermão", "aê, hein!"...

Pequeno grande homem

Amigos de Nelson Jobim estão preocupados! O ministro que não cabe em si parece ter perdido inteiramente o gosto de aparecer. Nem liga mais para aquela sua farda camuflada de campanha. Dia desses recusou passeio em avião de caça!

Uma coisa ou outra

Lula já cogita nova iniciativa de entendimento com o presidente Ahmadinejad. Vai propor que o Irã escolha entre levar adiante o apedrejamento ou a bomba atômica. As duas coisas, francamente, não dá! Parece razoável?

Espírito jovem

Não está muito claro ainda se o fenômeno é natural ou efeito de algum truque de marketing, mas o fato é que estão nascendo espinhas nas bochechas de José Serra. Repara só!

Fora de jogo

O governador Sérgio Cabral torceu o joelho direito, sofreu ruptura de menisco, foi operado no Rio e é, naturalmente, dúvida para o próximo debate na TV!

Nem aí!

Lula deu agora pra dizer que "quem engorda o porco é o olho do dono". Dilma Rousseff finge que não é com ela.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.