TJ-SP nega pedido de liberdade ao ex-polegar Rafael Ilha

Habeas foi recusado pelo juiz Davi Capelatto porque ex-líder do grupo musical tem antecedentes criminais

Fabiana Marchezi, estadao.com.br

08 de julho de 2008 | 20h44

O juiz Davi Capelatto, do Departamento de Inquéritos Policiais, negou, no último dia 2, pedido de liberdade provisória ao ex-Polegar Rafael Ilha. Ele é acusado de tentativa de seqüestro, formação de quadrilha e usurpação de função pública. Segundo o Tribunal de Justiça de São Paulo, o parecer do Ministério Público com a negativa de liberdade só voltou nesta terça-feira, 8.   Veja também: Após prisão, PTB retira candidatura a vereador de Rafael Ilha Ex-Polegar é preso por tentativa de seqüestro no centro de SP Após prisão por seqüestro, Rafael Ilha é transferido de DP Envolvida na prisão de Rafael Ilha diz ser vítima de perseguição   Ilha teve o pedido negado por já ter antecedentes criminais. O juiz também negou o pedido de liberdade de outro homem que foi preso junto com ele, por não ter residência fixa nem ocupação.  Ainda segundo o TJ-SP, Capelatto concedeu liberdade apenas para a enfermeira presa junto com Ilha, por ela ser ré primária, ter bons antecedentes, ter residência fixa, ocupação e advogado constituído.   No último dia 1º, os três tentaram colocar esteticista Karina Costa, de 28 anos, à força dentro de um carro. O ex-Polegar informou à polícia que o ex-marido de Karina tinha entrado em contato e pedido para que a mulher fosse internada em sua clínica de reabilitação contra dependentes químicos.

Tudo o que sabemos sobre:
Rafael Ilhaex-polegar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.