TJ solta suspeito de homofobia

O Tribunal de Justiça de São Paulo determinou ontem a soltura do personal trainer Diego Mosca Lorena de Souza, um dos dois acusados de agredir o estudante de Direito André Cardoso Gomes Baliera, que diz ter sido vítima de homofobia. O suspeito deve ser solto até a manhã de hoje. Souza e o estudante Bruno Portieri foram presos em flagrante por tentativa de homicídio pouco depois do espancamento, ocorrido no dia 3 de dezembro na Rua Henrique Schaumann, em Pinheiros, na zona oeste de São Paulo. A decisão judicial também deve beneficiar Portieri.

ROLDÃO ARRUDA, O Estado de S.Paulo

31 Janeiro 2013 | 02h02

"Não há elementos que definem se houve tentativa de homicídio", disse o criminalista Antonio Cláudio Mariz de Oliveira, que defende Souza. O desembargador Newton Neves afirmou que há conflito sobre o tipo de acusação que pesa sobre os dois, o que justifica a liminar.

"O que me incomodou profundamente foi a argumentação dos advogados. Além de vítima, agora sou transformado em mentiroso", disse Baliera. / COLABOROU JULIANA DEODORO

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.