TJ só adverte juiz que sacou arma em bar

Na véspera do Natal de 2010, o juiz Joaquim Lafayette Neto, embriagado, ameaçou com revólver mulheres que o teriam rejeitado em um bar no Recife e urinou na rua. Julgado na tarde de ontem pela Corte Especial do Tribunal de Justiça de Pernambuco, ele recebeu apenas pena de censura e continuará trabalhando normalmente.

ANGELA LACERDA / RECIFE, O Estado de S.Paulo

06 Março 2012 | 03h03

A pena máxima seria a aposentadoria compulsória, o que foi recomendado pela Procuradoria-Geral de Justiça e pedido pelo relator. O vice-presidente do TJ, desembargador Fernando Ferreira, votou com o relator e mostrou desagrado com o resultado. "Um magistrado deve apresentar postura ética na vida pública e na vida privada."

Participaram do julgamento 12 desembargadores - 9 votaram pela censura. O juiz alegou ter se embriagado involuntariamente por ter problemas de saúde.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.