TJ nega devolução de bens de Mizael Bispo

Acusado de assassinar a advogada Mércia Nakashima teve bens apreendidos pela Vara do Júri de Guarulhos para perícia; ele e Evandro Silva, também acusado do crime, estão foragidos

Pedro da Rocha, Central de Notícias

12 Janeiro 2011 | 20h58

SÃO PAULO - O Tribunal de Justiça de São Paulo negou nesta quarta-feira, 12, a devolução de vários bens ao ex-policial Mizael Bispo de Souza, acusado de matar a advogada Mércia Nakashima, em junho de 2010. Mizael pediu a devolução de celulares, armas, roupas e sapatos. Os bens estão sob a guarda do juiz da Vara do Júri de Guarulhos.

 

Mizael Bispo de Souza e o vigia Evandro Bezerra Silva, acusados pelo crime, estão com a prisão preventiva decretada e aguardam julgamento de habeas corpus para responder ao processo em liberdade. Os dois estão foragidos.

 

Segundo a relatora do recurso, a desembargadora da 12ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça, Angélica de Almeida, não há como restituir os bens ao ex-policial porque eles ainda podem ser importantes aos peritos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.