TJ manda soltar acusado por morte em igreja

TJ manda soltar acusado por morte em igreja

A Seção Criminal do Tribunal de Justiça de Santa Catarina decidiu anular todo o processo que apurou, julgou e condenou o pedreiro Oscar Gonçalves do Rosário à pena de 20 anos de prisão pelo assassinato da menina Gabrielli Cristina Eicholz, ocorrido na manhã de 3 de março de 2007, no interior da Igreja Adventista do 7.º Dia, em Joinville. A criança foi encontrada morta em uma pia batismal. A decisão de anular todo o processo, desde a origem, teve por base uma série de irregularidades nos procedimentos policiais.

, O Estadao de S.Paulo

26 Março 2010 | 00h00

Com a decisão, o pedreiro será colocado em liberdade. O caso, na prática, volta à estaca zero, com o reinício dos trabalhos de investigação policial. O placar da votação, contudo, foi apertado: cinco votaram pela anulação do processo enquanto quatro desembargadores mantinham o veredicto de culpa para Oscar do Rosário.

Gabrielli havia ido à igreja com um casal de primos para assistir a um culto. Somente ao fim da cerimônia deram pela falta da menina. Inicialmente, a polícia trabalhava com a possibilidade de que alguém da comunidade estivesse envolvido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.