TJ de São Paulo nega pedido de liberdade a Elize Matsunaga

Assassina confessa do marido, Elize já teve três habeas corpus negados

Gheisa Lessa, O Estado de S.Paulo

17 de agosto de 2012 | 11h58

SÃO PAULO  - O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) negou, na última quinta-feira, 16, o pedido de habeas corpus a Elize Matsunaga, de 30 anos, acusada do assassinato do marido, o empresário Marcos Matsunaga, de 41 anos, em maio. A decisão do relator do recurso, Francisco Menin, da 7ª Câmara de Direito Criminal, foi aceito de forma unânime.

A Justiça já negou uma liminar com o segundo pedido de liberdade a Elize em 22 de junho deste ano. O primeiro pedido de habeas corpus feito pela defesa de Elize foi negado no dia 12 de junho.

Entre 19 e 20 de maio, ela confessou ter matadado e esquartejado Marcos no apartamento onde os dois moravam, na zona oeste de São Paulo. 

O desembargador Menin, durante seu voto, afirmou que diante da gravidade do crime cometido pela ré, a prisão dela deve ser mantida em função da ordem pública.

A assassina confessa está detida no Presídio Feminino do Tremembé desde o dia 20 de junho.

O laudo do Instituto Médico Legal (IML) de Cotia confirmou que o empresário foi decapitado ainda com vida pela mulher. O documento atesta que o executivo foi morto por tiro associado a "asfixia respiratória por sangue aspirado devido a decapitação".

Ela é acusada de homicídio doloso triplamente qualificado e ocultação de cadáver.

Mais conteúdo sobre:
caso yokielize matsunaga

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.