Filipe Araujo/AE
Filipe Araujo/AE

Tiroteios deixam 3 mortos e ferem 2 no Ibirapuera

Armados de fuzis, ladrões tentaram roubar caixa no Ipê Clube e foram perseguidos pela PM; uma vítima era vendedor de pamonhas

Felipe Tau / JORNAL DA TARDE, O Estado de S.Paulo

27 de abril de 2011 | 00h00

Uma sequência de três tiroteios após uma tentativa de roubo de caixa eletrônico no Ipê Clube, no Ibirapuera, zona sul, deixou três mortos na madrugada de ontem. Duas delas foram identificadas como assaltantes. A outra, Geraldo Magela Lourenço, de 37 anos, foi atingida por um tiro de fuzil. Segundo sua família, ele vendia pamonhas e estava indo para o trabalho quando foi atingido. Dois policiais ficaram feridos sem gravidade.

A ação começou por volta das 4h30, quando dez criminosos armados com fuzis chegaram à entrada do clube. Pelo circuito interno de câmeras, vigias do Ipê viram três dos assaltantes pulando o muro do local e chamaram a Polícia Militar. Em poucos minutos, uma viatura da base comunitária da Rua Pedro de Toledo, que fica a poucas quadras dali, chegou ao local. Ao entrar na Rua Ipês, os policiais foram recebidos a tiros de fuzil de calibres 556 mm (AR 15) e 762 mm por bandidos que esperavam os comparsas em uma Palio Weekend.

Além de atirarem contra o carro da polícia, os bandidos no carro tentaram fugir de marcha à ré na direção da Avenida Ibirapuera. No caminho, atropelaram um policial, bateram com força em uma árvore e foram obrigados a descer do veículo. Outro policial foi baleado na mão.

O grupo que estava no carro e os outros integrantes da quadrilha fugiram em direções opostas na Avenida Ibirapuera, enquanto outro homem se abrigou atrás de uma Saveiro parada na avenida e continuou trocando tiros com os PMs. Ele tentou correr na direção do Complexo João Jorge Saad, o Cebolinha, mas acabou baleado e morreu no hospital. Segundo a polícia, ele tinha antecedentes criminais.

Geraldo Magela Lourenço dirigia a Saveiro e chegou a ser socorrido no Hospital São Paulo após ser atingido pelo tiro de fuzil, mas morreu na tarde de ontem. Em seu carro foram encontrados um botijão de gás, sacas de milho e dois carregadores de fuzil, que podem ter sido deixados pelos ladrões. Ele não tinha antecedentes criminais. Segundo sua família, trabalhava em ruas da região (leia abaixo). A PM, no entanto, afirma que ele estava envolvido na ação.

Na fuga, alguns dos bandidos correram na direção do portão 5 do Parque do Ibirapuera. Alguns conseguiram escapar pelo parque, mas um deles, que tentou esconder-se em uma construção na Rua Comandante Ismael Guilherme, trocou tiros com a polícia e foi morto. O suspeito tinha antecedentes criminais.

Fuga. Segundo o capitão Wantuil Andrade, da 4.ª Companhia do 12.º Batalhão, das 4h30 às 7h, foi feita varredura no parque e nas redondezas com policiais a pé e de helicóptero. "Acho muito improvável que eles estejam por ali", disse. Nenhum bandido foi preso. Um pequeno caminhão roubado por dois homens na fuga foi achado às 8h na Rua Domingos de Morais, na Vila Mariana. O PM atropelado, que também levou um tiro de raspão no pescoço, fraturou o braço e foi levado ao Hospital São Paulo. O policial ferido na mão passou por cirurgia à tarde. Nenhum corre risco de morte.

Em nota, o Ipê Clube afirmou que "não houve qualquer ocorrência com funcionários ou associados".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.