Tiroteio na Avenida Faria Lima deixa um morto e cinco feridos

Suspeito foi morto após suposta tentativa de assalto a um quarteirão do Shopping Iguatemi, região nobre da capital 

Bruno Ribeiro , O Estado de S. Paulo

04 Agosto 2014 | 18h24

Atualizada às 2301

SÃO PAULO - Uma suposta tentativa de assalto a um policial militar terminou em tiroteio, na tarde desta segunda-feira, 4, na Avenida Faria Lima, área nobre da zona sul de São Paulo. Cinco pessoas ficaram feridas - duas por bala perdida. Quem passava pelo local tentou correr, enquanto o PM trocava tiros com ao menos dois assaltantes. Um deles morreu. O outro, mesmo baleado, conseguiu fugir. 

O crime aconteceu às 13 horas. O PM, cuja identidade não foi revelada pela Secretaria de Estado da Segurança Pública, havia saído de uma agência do banco Itaú, na altura do número 1.884 da avenida, a um quarteirão do Shopping Iguatemi, quando foi abordado por dois homens em duas motos. Ele reagiu atirando. Até esta segunda-feira, 4, a principal hipótese é tentativa de assalto.

Depois da troca de tiros, um dos homens entrou em uma garagem subterrânea na frente do local da abordagem. Ferido, ele foi levado para a Santa Casa, onde morreu. O outro, também baleado, desceu a pé pela Rua Dona Elisa Pereira de Barros. Ali, segundo testemunhas, teria entrado em um táxi e fugido. 

Atingido no ombro, o PM foi levado para o Hospital das Clínicas. O hospital não forneceu informações sobre seu estado. 

Policiais que atenderam a ocorrência não confirmaram se os homens levaram algo do policial. Agentes da Corregedoria da Polícia Militar também foram até o local da ocorrência.

Susto. O tiroteio fez com que os pedestres corressem sem rumo pela avenida. Uma bala acertou a parede da esquina da Faria Lima com a Dona Elisa Pereira de Barros, perto de onde uma vendedora ambulante trabalhava. Ela não foi atingida.

Uma segunda bala feriu um rapaz na perna. Ele chegou a ser ouvido no 15.º Distrito Policial, onde o caso foi registrado, mas não quis falar com a imprensa.

Uma gari também teria ficado ferida por bala perdida, segundo testemunhas, mas ela não foi levada para a delegacia.

Outra bala atingiu o salão de cabeleireiro Brush Beleza, cheio de pessoas que procuravam abrigo no meio do tiroteio.

“Entrou um monte de gente correndo, aí comecei a ouvir os tiros. Pensei que era barulho de moto. Então, falaram que era tiro. Eu ouvi uns seis. Durou uns dois minutos”, contou a recepcionista Márcia Maria de Oliveira, de 37 anos, que estava no local na hora do tiroteio. “O vidro estourou com uma bala, e os estilhaços atingiram uma cliente no braço, que ficou toda cortada. Uma funcionária foi atingida no rosto. A gente acha que era resto da pólvora”, disse. 

Comparsa. A Polícia Científica esteve no local e pediu imagens das câmeras das redondezas. Policiais fizeram buscas em hospitais da região para tentar localizar o segundo homem baleado, sem sucesso. Como também não há registro de nenhum taxista rendido por bandidos, a suspeita é de que tratava-se de um comparsa da dupla.

Mais conteúdo sobre:
Avenida Faria Lima São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.