Tiroteio em túnel causa pânico no Itaim

Abordado por ladrões no Tribunal de Justiça, motociclista reagiu atirando; com medo de arrastão, motoristas deram marcha à ré

Camilla Haddad, O Estado de S.Paulo

23 Julho 2011 | 00h00

Uma tentativa de roubo de moto no Túnel Tribunal de Justiça, em Moema, na zona sul de São Paulo, transformou-se em tiroteio e em perseguição até o Itaim, na mesma região. Dois homens foram presos e um menor, apreendido. Testemunhas disseram que houve pânico e motoristas chegaram a dar marcha à ré pensando se tratar de um arrastão.

Passava da meia-noite quando cinco suspeitos em três motos cercaram a Honda Hornet amarela da vítima dentro do túnel, que liga a Avenida 23 de Maio à Juscelino Kubitschek. Ao perceber o assalto, o dono da moto começou a atirar contra o grupo. Foram ao menos três disparos.

Um dos suspeitos foi atingido de raspão no braço. Duas motos tentaram escapar em alta velocidade pela contramão. Na altura da Avenida Juscelino Kubitschek, os suspeitos avançaram o semáforo vermelho e bateram contra uma Tucson de um juiz de 34 anos. Acabaram presos em flagrante. O juiz não se feriu.

Segundo a Secretaria da Segurança, uma testemunha que presenciou toda a ocorrência reconheceu dois rapazes como os que cercaram o dono da Hornet. São eles o ajudante Eugênio Rufino Nascimento, de 19 anos, e o estudante Rafael Machado da Silva, de 18. Também foi reconhecido um garoto de 17 anos. Eles alegaram não estar envolvidos no crime e só ter usado a contramão por estarem perdidos.

O delegado Paul Henry Verduraz, titular do 15.º Distrito Policial (Itaim-Bibi), onde o caso foi registrado, disse que, até a noite de ontem, o motoqueiro que reagiu à tentativa de assalto não havia comparecido à delegacia para prestar queixa ou dar esclarecimentos.

Estatísticas. Todos os dias, 45 motos são roubadas ou furtadas na capital. Conforme dados da Polícia Civil, houve 8.229 crimes desse tipo no primeiro semestre. Ao todo, 2.181 veículos foram recuperados pela polícia.

A reportagem apurou com investigadores que atualmente as motos mais visadas pelos criminosos são as de modelos de 125 a 250 cilindradas. Geralmente são roubadas para depois serem usadas em outros assaltos, como em abordagens contra motoristas parados em semáforos. Já no caso das importadas, seriam roubadas por encomenda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.