Nilton Fukuda/AE
Nilton Fukuda/AE

Tiroteio acaba com 2 mortos na Vila Olímpia

Policial militar à paisana atirou em ladrões após vê-los cercar motoboy que tinha sacado R$ 12,6 mil, no fim da manhã de ontem

Elvis Pereira, O Estado de S.Paulo

21 Julho 2011 | 00h00

Tiros assustaram no fim da manhã de ontem quem passava na praça na frente do Shopping Vila Olímpia, na zona sul de São Paulo. Dois ladrões cercaram um motoboy e roubaram um envelope com R$ 12,6 mil. Um policial militar à paisana viu a ação e reagiu, desencadeando o tiroteio. Os dois acusados acabaram baleados e morreram. O dinheiro sumiu. A vítima não se feriu.

O motoboy Adelson Francisco havia ido a pé a uma agência do Itaú na Rua Olimpíadas para sacar R$ 12,6 mil. O dinheiro havia sido reservado no dia anterior e pertencia à empresa terceirizada da qual é funcionário. O escritório fica perto dali, na Avenida Doutor Cardoso de Melo. Antes do almoço, ele deixou o banco levando o envelope com o dinheiro.

Francisco atravessou a rua e seguia pela calçada da praça. "Vi um cara mexendo na moto e me assustei. Tentei correr, mas ele veio na minha direção", contou. Armados, Márcio Oliveira e Rodrigo da Silva, ambos de 30 anos, renderam a vítima. Um exigiu o envelope e o outro o revistou em busca de mais dinheiro. Não acharam e se preparavam para fugir. Foi quando o policial viu a ação. Ele estava a caminho do shopping, onde se encontraria com a namorada para almoçar. "Quando os bandidos retornavam para a moto, me identifiquei como policial e pedi que eles se rendessem. Eles se viraram e atiraram", disse o soldado, que pediu para não ter o nome revelado. Ele está na PM há cinco anos. "Atirei em legítima defesa. Não sei quantos tiros dei. Já estava apontando a arma e eles não pensaram em mais nada a não ser me matar."

O tiroteio causou corre-corre. "Pelo menos dez pessoas correram para o estacionamento. Outras fugiram desesperadas. Foi muito rápido", contou Alexandre Vegas, de 37. Ele acompanhou a ação da janela do prédio onde trabalha, ao lado do banco.

O dinheiro sumiu. Atingido no braço e nas costas, Oliveira caiu no chão. Baleado no peito, Silva subiu na moto e tentou fugir. A poucos metros dali, bateu em um carro. Eles foram socorridos, mas morreram. Em meio à confusão, o dinheiro sumiu. "O acusado chegou a tomar o dinheiro e colocá-lo dentro da blusa", disse o capitão Sérgio Ferraz, da Força Tática do 12.º Batalhão da PM. "Não sabemos se o envelope foi levado por outros ladrões. Não localizamos esse dinheiro."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.